• 08/01/2017 (10:42:49)

  • Repórter: Viver Bem/Animal

  • Fotógrafo: Bigstock.

E água gelada, pode?

Animais também precisam de mais água no verão

Perceba sinais de que seu animalzinho precisa de água e saiba como estimular o consumo e a hidratação nos dias quentes


Animais precisam de mais água no verão. Foto: Bigstock.

Para manter cães e gatos hidratados no verão, os donos precisam se lembrar de deixar o pote de água sempre cheio, fresco e bem acessível, já que eles perdem mais água do que no restante do ano. Cães e gatos devem evitar água gelada, não por haver patologias comprovadas em literatura em relação a administração nessa temperatura, mas por não ser necessário. O ideal é que a água a ser tomada seja limpa e fresca. “Quanto aos banhos, pode-se aumentar a frequência, para aliviar o calor dos cães, porém não pode ser feito com água gelada, e sim morna, para que não haja hipotermia ou alterações de temperatura nos animais”, diz a médica veterinária da Cobasi Carla Storino Bernardes.

A troca de água deve ser feita pelo menos duas vezes ao dia e o recipiente precisa ser lavado, como indica o médico veterinário Rodrigo Augusto de Araújo. “Alguns sinais podem indicar que o animal está com sede, como inquietude e estar ofegante (difícil acontecer com gatos)”, diz ele. No caso dos bichanos, é possível inserir na alimentação pequenas quantidades de ração com textura jelly ou apostar em fontes que contenham água corrente. Ainda é possível fazer um sorvete para os bichos com alimento próprio.

Hora do passeio

O melhor horário pra passear no é no inicio da manhã ou no fim da tarde, diz . Evitar os horários mais quentes do dia pode causar hipertemia (aumento exacerbado de temperatura corpórea) e queimaduras. “Os cães têm contato direto de suas patas com o chão e este calor pode queimar suas patas”, diz Carla. Os animais precisam realizar a regulação da temperatura corporal, e os processos metabólicos produzem calor. Esse calor sai do corpo como forma de transpiração (que cães e gatos praticamente não realizam) e evaporação pulmonar, que é o motivo de os pets ficarem de língua de fora nos dias quentes.

Língua de fora

Os animais precisam realizar a regulação da temperatura corporal, e os processos metabólicos produzem calor. Esse calor sai do corpo como forma de transpiração (que cães e gatos praticamente não realizam) e evaporação pulmonar, que é o motivo de os pets ficarem de língua de fora nos dias quentes.

Entre os cachorros, yorkshire terrier, shih tzu, maltês, dachshund, golden retriever, chihuahua e pastor shetland são as raças que mais sofrem nos dias quentes. Para cães com pelos longos é indicado uma tosa. Em gatos o procedimento pode ser mais estressante e deve ser avaliado particularmente com o veterinário. Na hora do passeio, evite os horários de sol forte e leve sempre uma garrafinha de água. Prefira sair antes das 10h ou depois das 18h. Borrifar água no rosto e nas patas ajuda a refrescar.