• 30/09/2017 (17:39:56)

  • Repórter: Gazeta do Povo

  • Fotógrafo: Bigstock

“Meu pet não quer comer”

Veja o que fazer quando isso acontece

Qualquer doença, infecção e disfunção hormonal pode interferir diretamente no apetite do gato ou cachorro. Se eles fizerem “greve de fome” é hora de agir


Cães e gatos que, de uma hora para outra, param de se alimentar, precisam de um olhar mais atento. Às vezes, a questão é simples e pode ser resolvida facilmente, apenas com a substituição da marca ou do sabor da ração. Em outros casos, o problema pode ter origem orgânica ou mesmo psicológica e, além de provocar a redução gradual de peso no animal, pode enfraquecê-lo e acabar agravando o quadro ou ainda acarretando outras doenças.

Qualquer doença, infecção e disfunção hormonal pode interferir diretamente no apetite do animal. Mas, assim como os seres humanos, os bichinhos também estão sujeitos a depressão e outros problemas psicológicos que resultam na redução do apetite.

A ausência prolongada do tutor, seja por causa de uma viagem ou mesmo por causa de um óbito, a mudança de casa ou a chegada de um novo membro à família podem gerar um estresse inesperado a ponto de levar o animal a rejeitar a comida. Para resolver o problema, o primeiro passo é levá-lo ao médico veterinário para uma avaliação clínica e o diagnóstico adequado.

Doenças mais comuns
Entre as questões orgânicas, as possibilidades vão desde problemas gastrointestinais ou medicamentos que o animal esteja utilizando até situações pontuais, como picadas por insetos e que podem apresentar uma evolução rápida, dependendo do caso. As mudanças fisiológicas no animal, com o decorrer da idade, também podem influenciar no ritmo alimentar e merecem atenção.

Se o problema for decorrente da ausência do tutor, o mais indicado é ocupá-lo com atividades nesse período, promover o enriquecimento ambiental do espaço onde fica, deixando disponíveis brinquedos para entretenimento ou, até mesmo, arrumar um novo companheiro, seja ele gato, seja ele cachorro.

Metabolismo
O metabolismo dos felinos tem deficiência de algumas enzimas, por isso o uso da ração adequada para gatos é fundamental. Como o organismo não consegue sintetizar alguns nutrientes, essas substâncias devem ser fornecidas pré-formados na dieta, como a vitamina A, o ácido aracdônico e a taurina.

Vômito
Não é raro gatos saudáveis vomitarem pelos. Os bichanos ingerem pelos com o hábito de se higienizar, ao se lamberem. Uma das formas para tentar minimizar este problema é a escovação diária dos felinos.

Fonte: Rebeca Bacchi Villanova, médica veterinária da NRCare Odontologia Veterinária e professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade Positivo (UP).