• 18/07/2018 (23:46:59)

  • Da Redação

  • Repórter: Ascom

Retirado do cadastro de inadimplentes

Estado é retirado do cadastro de inadimplentes do Ministério da Educação

Em passagem pelo estado, ministro da Educação também anunciou R$ 300 mil para Mostratec de Novo Hamburgo

Em visita ao Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira (18), o ministro da Educação, Rossieli Soares, anunciou que o Rio Grande do Sul está fora da lista de inadimplência do Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias, o Cauc, um cadastro mantido pelo Ministério da Educação (MEC) que norteia as transferências de verbas feitas a estados e municípios. O anuncio foi feito durante audiência com o governador José Ivo Sartori, às 14h30, no Palácio Piratini.

De acordo com o ministro, a adimplência é pré-requisito fundamental para a transferências de valores relativos a projetos que envolvem aporte de órgãos federais, como o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). "Essa notícia é positiva para projetos futuros e aqueles cujas verbas não estavam sendo liberadas", afirmou o secretário da Educação, Ronald Krummenauer.

A medida é mais um passo para o Estado conseguir liberar verbas na ordem de R$ 100 milhões, disponíveis para obras e reformas de quadras esportivas em escolas do interior e da capital, que estão sendo pleiteadas pelo Estado.

Durante a audiência com o governador José Ivo Sartori, o ministro anunciou ainda a liberação de R$ 300 mil para a Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec), que ocorre em outubro na Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, de Novo Hamburgo. "A Mostratec é uma feira muito importante para o Brasil, vem expositores de vários países. Uma parte do investimento irá permitir a participação de institutos federais e outra vai para a Fundação Liberato utilizar na organização do evento", explicou Rossieli.

Na visita a Novo Hamburgo, o ministro tratou de uma parceria que está sendo encaminhada com a prefeitura local para que 53 escolas da região passem a ter uma orquestra. O investimento, de acordo com o Ministério da Educação, será de R$ 3,9 milhões.