• 14/09/2018 (11:25:12)

  • Da Redação

  • Repórter: Ascom URI

  • Fotógrafo: Divulgação

Projeto de inserção na Universidade

Ensino Médio da Escola da URI participa de projeto de inserção na Universidade

Segundo os participantes, foi um momento único de aprendizado, trabalho em equipe

Um projeto inovador que enaltece a Escola e a Universidade. Assim pode ser definido o projeto “10 horas no limite – o Ensino Médio na Universidade”, desenvolvido pelos cursos de engenharia da URI para os alunos de Ensino Médio da Escola de Educação Básica, dentro do programa “Conhecendo Profissões”.

A iniciativa, desenvolvida na terça-feira, 11, no Câmpus 2, teve início com uma palestra sobre empreendedorismo com o professor Cristiano Vitorino da Silva, coordenador da área de Engenharia e Ciência da Computação, quando falou sobre a importância dos benefícios trazidos à sociedade por parte do cidadão criativo, proativo e responsável.

Diversas ações marcaram o dia com os alunos sendo desafiados a desenvolverem uma série de projetos. O Curso de Agronomia proporcionou a criação de uma horta vertical reciclando garrafas PET, além de uma irrigação prática e simples, que pode durar até 15 dias.

 Enquanto isso, os cursos de Engenharia Civil, Engenharia Elétrica e Engenharia de Produção, criaram, com a participação dos alunos, uma casa com material reciclável (caixas de leite), estrutura elétrica e telhado.

Já a Engenharia Civil foi a responsável por desenvolver uma estrutura, com piso, telhado e esquadrias, da Casinha de Brinquedo, com a Engenharia Elétrica desenvolvendo a parte de iluminação.

Por outro lado, a Engenharia de Alimentos realizou um trabalho utilizando leite. Nesta atividade, os alunos fizeram ricota para aproveitar o soro e pasta de queijo (sabor damasco e bacon+tomate seco), ambos com redução de sal. Além disso, foi produzida uma embalagem para o produto final, cuja marca também foi criada pelos alunos.

A Engenharia Química propôs aos alunos que trouxessem plantas com óleos essenciais, os quais foram retirados para a produção de sabonetes.

O Curso de Engenharia Mecânica, por seu turno, reuniu dois grupos de alunos para corte de barras de ferro o outro para soldar a estrutura para ser utilizada no projeto do minibaja.

O Curso de Arquitetura e Urbanismo apresentou como proposta o desenvolvimento de castelos medievais utilizando o programa Minecraft, com a coordenação dos professores Sara Roesler e Darllan Fabiani da Silva Santos e auxílio dos acadêmicos Dienifer Secchi, Henrique Liotto, Mateus Kowalski e Rafael Maboni. Foram criadas 5 equipes e o melhor projeto foi premiado. Os alunos puderam vivenciar a representação em 3 dimensões, a inserção de diferentes materiais, texturas, cores, além da possibilidade de visualização dos projetos criados em 360°, por meio de um óculos 3D. A atividade foi realizada no Laboratório de Conforto Ambiental quando foram abordados temas tais como orientação solar, ventilação natural, iluminação natural e artificial, permitindo aos alunos um maior contato com o cotidiano da profissão de arquiteto e urbanista. 

Segundo os participantes, foi um momento único de aprendizado, trabalho em equipe, protagonismo juvenil, em que os alunos foram desafiados e resolver problemas,  buscar estratégias, vivenciar experiências de vida com responsabilidade e criatividade. Há três anos o projeto vem se diferenciando e ampliando a cobertura, como uma forma de divulgar os cursos e oportunizar o aprendizado.