• 21/11/2018 (00:48:00)

  • Da Redação

  • Repórter: Emater/RS-Ascar

Dia de Campo em Barracão

Dia de Campo em Barracão aborda Programas Socioassistencial

A comunidade Santa Terezinha, no município de Barracão, recebeu na quarta-feira (14/11) cerca de 45 pessoas que participaram da 1ª Tarde de Campo dos Programas Socioassistencial, Gestão Sustentável da Agricultura Familiar e Bolsa Jovem. A comunidade sediou o evento em virtude de seu histórico de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social. Em 2011, sete famílias aderiram ao Programa Socioassistencial Fomento do Brasil Sem Miséria, em 2017/2018, cinco famílias foram incluídas no Programa Gestão Sustentável e, também em 2018, um jovem foi incluído no Programa Bolsa Jovem. Mudanças significativas aconteceram e estão acontecendo na comunidade.

De acordo com a equipe da Emater/RS-Ascar de Barracão, o evento teve como objetivo apresentar propostas viáveis de valorização da propriedade, gestão sustentável, geração de renda, saúde e políticas públicas para as famílias rurais com os temas apresentados. As atividades foram realizadas em forma de estações localizadas no salão da comunidade. Foram cinco estações diferentes, onde cada palestrante abordou os temas de forma didática, visando um bom entendimento dos participantes, oportunizando discussão sobre cada tema.

A primeira estação foi sobre Prevenção de Doenças e foi conduzida pela equipe da vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Barracão, composta pelos agentes epidemiológicos Carlos Alberto de Oliveira e Jonas Gonçalves de Miranda. Eles falaram sobre a prevenção de doenças causadas pela falta de cuidados com arredores, água, lixo e roedores. A segunda estação abordou a Garantia de Direitos e foi apresentada pela secretária de Assistência Social Reni de Andrades. Na oportunidade, Reni destacou as políticas públicas desenvolvidas no município.

Compostagem e produção de adubo orgânico com baixo custo foi o assunto da terceira estação, explanada pelo técnico agrícola e extensionista da Emater/RS-Ascar de Barracão, Darlei Marini. Ele demonstrou forma prática e alternativa para formação de composto orgânico em composteiras caseiras, reaproveitando e utilizando como matéria-prima os resíduos domésticos.  Segundo Marini, a atividade promove a transformação de resíduos orgânicos em adubo para horta e jardim, sem custo de produção, e pode ser uma boa alternativa para o meio urbano.

A extensionista social da Emater/RS-Ascar de Barracão, Maria Carmo de Figueiredo, apresentou na quarta estação o tema Paisagismo, jardinagem e cuidados com arredores. Ela destacou as vantagens de se ter uma propriedade organizada, explicou como realizar melhorias no ajardinamento das propriedades e sobre os cuidados com o saneamento básico, que está diretamente relacionado com a preservação ambiental.

E a quinta estação teve como tema o Custo de implantação de atividade frutícola e foi conduzida pelo técnico em agropecuária e extensionista da Emater/RS-Ascar de Barracão, Christian Tadeu Girardi Costa. De forma didática, ele mostrou os custos de implantação da atividade com frutíferas, comparando área e custo de produção de outras atividades, como grãos.

De acordo com a extensionista social da Emater/RS-Ascar, o evento alcançou os objetivos e oportunizou os participantes conhecer mais sobre os assuntos tratados nas estações. “Além disso, fortaleceu as parcerias com as secretarias de Saúde, de Assistência Social e da Agricultura”, avalou Maria.