• 07/02/2019 (06:26:08)

  • Repórter: Rádio Gaúcha

  • Fotógrafo: Marcelo Fonseca / Folhapres

Rio de janeiro em

Forte temporal causa cinco mortes e Rio de Janeiro

As áreas mais afetadas foram a Rocinha, na zona sul da cidade, e a região do Itanhangá, na Barra da Tijuca. Duas pessoas estão desaparecidas

Foto: G1

Um intenso temporal que atingiu o Rio de Janeiro na noite desta quarta-feira (6) causou a morte de cinco pessoas. Por volta da 1h desta quinta-feira (7), o prefeito Marcelo Crivella confirmou a morte de duas pessoas em função da chuva. Foi constatada, no entanto, uma terceira morte ao longo da madrugada. Duas vítimas estavam na Barra de Guaratiba e uma na Rocinha. 

A tempestade derrubou pelo menos 64 árvores, causou alagamentos em ruas e em estabelecimentos comerciais, interditou vias e deixou bairros às escuras. Ventos de até 110 km/h foram registrados em Copacabana.

Foto: Alba Valéria Mendonça/G1

Um ônibus está soterrado na Av. Niemeyer. O motorista do ônibus conseguiu sair do veículo e teve escoriações. Ele afirmou que duas pessoas estariam no veículo, uma delas foi encontrada e morreu. A segunda é procurada. Houve quedas de barreira em vários pontos - a ciclovia caiu perto de São Conrado, e o ônibus foi atingido quase no extremo oposto.

Às 22h15min, o município entrou em estágio de crise — adotado quando "há previsão de chuva forte, ocasionalmente muito forte nas próximas horas, podendo, inclusive, causar múltiplos alagamentos e deslizamentos, além de transtornos generalizados em uma ou mais regiões da cidade", segundo a prefeitura. Quando esse estágio é atingido, as equipes de emergência já estão espalhadas pelas ruas atuando para amenizar os efeitos da chuva.

Conforme o Centro de Operações da prefeitura, das 18h às 22h30min, as áreas com chuva mais volumosa foram a Rocinha, na zona sul, com 132,2 mm; o Vidigal, na mesma região, com 127,6 mm; e a região do Itanhangá, na Barra da Tijuca (zona oeste), com 122,8 mm.