CIDADE

  • 08/02/2019 (06:04:29)

  • Repórter: Agência Brasil

Evento raro

Rio poderá rever critério de uso de sirenes de chuva, diz Crivella

Justificando-se, o prefeito do Rio diz que temporal "foi surpresa".

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, fala sobre os estragos das
chuvas que atingiram a cidade - Fernando Frazão/Agência Brasil

O prefeito do Rio justificou os estragos causados pelo temporal, que deixou seis mortos e muitos imóveis danificados ou destruídos, como um evento raro. “Ninguém esperava. Foi algo extraordinário. Foi uma chuva que a recorrência é mais de 100 anos, 120 anos”, disse Crivella.

Questionado se houve diminuição na aplicação de recursos públicos na prevenção dos efeitos das chuvas, Crivella disse que está havendo investimentos no setor. “Nós temos aplicados recursos contra enchentes de maneira prévia. Há três meses nós começamos um grande mutirão de limpeza de bueiros. Talvez seja por isso que nós não tenhamos encontrado situações piores”.

Crivella disse que o município atravessa uma crise financeira herdada da gestão anterior, que fez, segundo ele, gastos excessivos durante os Jogos Olímpicos, que precisam ser pagos agora.

“A cidade do Rio de Janeiro vive uma crise econômica e financeira das piores do Brasil. A cidade perdeu 350 mil empregos de 2015 a 2018, teve queda na arrecadação e uma dívida imensa para pagar devido às Olimpíadas. Foi R$ 1,2 bilhão no primeiro ano de governo e R$ 1,5 bilhão no ano passado. Só aí foram R$ 2,6 bilhões. É difícil fazer os investimentos que gostaríamos, diante do tamanho compromisso financeiro assumido pelo governo anterior e que ficou para nós.”