ECONOMIA

  • 08/02/2019 (18:13:42)

  • Repórter: Assessoria

Apoio econômico

Governo de Aratiba vai conceder incentivo financeiro à agroindústria local

O executivo de Aratiba encaminhou esta semana para a Câmara de Vereadores um projeto de lei que oferece incentivo financeiro para a agroindústria  a aumentar a produção e a gerar mais empregos.

O projeto prevê o repasse de R$ 78 mil para a Agroindústria Familiar de Embutidos de Carnes Douglas Augusto Dalla Vecchia, a ser usados na compra de equipamentos. A agroindústria processa a carne de cerca de 30 suínos por semana, produz linguiça colonial defumada, costela suína, linguiça de pernil suína, carne resfriada de suíno, salame tipo italiano, copa, lombo defumado, banha, torresmo, linguicinha camponesa e morcela. Gera 11 empregos diretos e de 45 a 50 empregos indiretos nas atividades de criação, transporte e abate. O incentivo também servirá para ajudar a recuperar a receita perdida no ICMS, que é um dos grandes objetivos do governo de Aratiba.

Uma das características do empreendimento é que a matéria prima vem de agricultores do município que não trabalham em sistema de parceria com as integradoras. Um dos fornecedores é Silvestre Simon, da comunidade de Santa Lúcia, que mantém 11 matrizes na propriedade para atender a agroindústria. “A entrega dos suínos para a agroindústria é o que mantém a nossa atividade em funcionamento. A suinocultura é a nossa única fonte de renda, é o que mantém o sustento da família”, conta o agricultor. Outro agricultor, Moacir Wrublewski, da Comunidade de Sede Dourado, iniciou a criação de suínos na mesma época em que a agroindústria começou a funcionar. Para o suinocultor, a principal vantagem é a facilidade de transporte e a venda certa todos os meses “Se não tivesse a agroindústria, teria que parar com a produção de suínos”, conta. 

A agroindústria é responsável, também, por 20% da demanda por serviços do Abatedouro Aratiba, que emprega sete pessoas.  “A agroindústria é nossa parceira, quanto mais ela produzir mais ela contribuirá para a ampliação de nossa empresa. A agroindústria precisa de nós e nós precisamos dela”, avalia André Rorig.

Odir Antônio Dalla Vecchia, proprietário da agroindústria considera que este recurso resultará na geração de mais empregos e redução do valor da mão de obra no custo de produção.  “Se por acaso não conseguirmos, teremos que fazer um estudo para repensar a viabilidade da agroindústria”, diz o proprietário.

O repasse do incentivo está baseado na lei 2.589 de 04 de dezembro de 2007. Para receber o recurso o agricultor terá que assinar um Termo de Concessão que estabelece a obrigação de aumentar o numero de empregos e geração de impostos por parte da agroindústria.  Para o prefeito Guilherme Granzotto, destaca que a agroindústria está habilitada a receber os recursos conforme a Lei, o repasse foi aprovado pela Comissão Especial de Análise Técnica e teve parecer favorável da Procuradoria do Município. “ A nossa intenção é usar o recurso público no incentivo de atividades da nossa gente, que geram emprego, renda e desenvolvimento para o município”, defendeu.