Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
LULA "NOBEL DA PAZ" | Gleisi diz que nova condenação ocorre quando cresce chance de Lula ser Nobel da Paz
Argumento da deputada federal também foi usado em nota oficial do PT sobre a condenação
Redação
por  Redação
07/02/2019 13:14 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, reagiu à condenação de Lula no processo do sítio de Atibaia e usou como argumento a possibilidade de Lula receber o prêmio Nobel da Paz. “A perseguição a Lula não para. Uma segunda condenação a jato foi proferida, exatamente quando cresce a possibilidade de Lula ser Nobel da Paz”, escreveu a parlamentar no Twitter."

O mesmo tema foi abordado em nota oficial do PT, com o título “Lava Jato ataca Lula temendo o Nobel da Paz”. “A nova condenação, também injusta e ilegal no caso de Atibaia, vem no momento em que Lula é indicado ao Prêmio Nobel da Paz por mais de meio milhão de apoiadores", diz o texto.

Um abaixo assinado na página Change.org conseguiu reunir, até esta quinta-feira (7), mais de 580 mil assinaturas favoráveis à ideia. Os apoios referendam a indicação de Lula ao prêmio à Fundação Nobel, que é assinada pelo argentino Adolfo Pérez Esquivel, vencedor da premiação em 1980.

Formalmente, a indicação ao prêmio pode ser feita por um pequeno rol de pessoas – dentre eles, antigos vencedores e integrantes do comitê de organização. A simples indicação, contudo, não garante sucesso na avaliação final – nem a forma como a indicação foi avaliada. Os nomes dos indicados permanecem sob sigilo por 50 anos.

O vencedor do prêmio é definido por um comitê de cinco pessoas, eleitos para um mandato de cinco anos pelo Parlamento da Noruega. As indicações são feitas em outubro e os vencedores anunciados normalmente em dezembro. Os vencedores da edição de 2018 foram o médico congolês Denis Mukewege e a ativista iraquiana Nadia Murad, que trabalham contra a violência sexual em conflitos armados.

As tentativas de “emplacar” candidatos são comuns, mas sem garantia de sucesso. Nos últimos dias, por exemplo, cresceram os movimentos em redes sociais para indicar à premiação, por exemplo, os bombeiros de Brumadinho."

Gazeta do Povo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE