Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
​ ERA DO GELO | Cientistas encontram filhote de 18 mil anos em perfeito estado de preservação
O pequeno animal de dois meses, sem raça identificada, intriga estudiosos desde quando foi encontrando
Redação
por  Redação
28/11/2019 08:20 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade


Um filhote de dois meses tem intrigado muitos cientistas na Sibéria, depois que foi encontrado em 2018. Para começar, ele morreu há 18 mil anos. Mesmo assim, seus bigodes, cílios, nariz e dentes afiados foram perfeitamente preservados quando seu corpo foi congelado.

O pequeno foi detectado no verão, dentro de um pedaço de solo congelado, perto do rio Indigirka, no nordeste de Yakutsk, a cidade mais fria do mundo. Ele estava em um ótimo estado, o que chamou atenção dos especialistas.



Entretanto, o mais curioso é que, mesmo com o animal em mãos, os cientistas ainda não sabem dizer se ele é um cachorro da Era do Gelo, ou um lobo. Todos os testes de DNA efetuados com as amostras do filhote ainda não conseguiram estabelecer sua espécie.

Ainda assim, não se descarta a possibilidade de que o pequeno seja um ancestral comum entre os cães e os lobos, que viveu na época de transição evolutiva entre os dois animais. Para chegar a uma conclusão, Cientistas russos forneceram amostras do antigo filhote ao Centro Sueco de Paleogenética (CPG).


Por enquanto, nem mesmo a causa da morte já foi estabelecida. O que se sabe é que, pela forma como foi congelado, o filhote — batizado de Dogor (amigo, no idioma Yakut) — não parecia estar em perigo quando morreu na era do Paleolítico Superior.

UOL

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE