Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação/Netflix
Netflix tem 34 indicações entre cinema e TV ao Globo de Ouro
Cerimônia da 77ª edição do Globo de Ouro, acontece neste domingo.
Correio do Povo
por  Correio do Povo
04/01/2020 12:04 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A Netflix pretende arrasar na 77ª edição do Globo de Ouro, a cerimônia que abre, neste domingo, a temporada de premiações de Hollywood. Com 34 indicações entre cinema e TV, a gigante do streaming, que começou a produzir originais há apenas seis anos, procura continuar consolidando seu lugar na indústria do entretenimento, que ainda tem muita resistência.

História de um Casamento/Divulgação

Seu filme "História de um Casamento", que mostra a tumultuosa separação de uma atriz, interpretada por Scarlett Johansson, e seu marido, um diretor de teatro narcisista interpretado por Adam Driver, recebeu seis indicações, enquanto "O Irlandês", epopeia mafiosa de três horas e meia de Martin Scorsese, recebeu cinco. "Os Dois Papas", dirigido por Fernando Meirelles, que mostra um encontro fictício entre Bento XVI (Anthony Hopkins) e seu sucessor Francisco (Jonathan Pryce), obteve quatro.

"A Netflix teve um grande ano, acho que irão bem", disse Tim Gray, editor de prêmios e vice-presidente da revista especializada Variety. O Globo de Ouro, premiação entregue pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), ocorre em 5 de janeiro em Beverly Hills e abre a temporada de prêmios - que termina com o Oscar, em 9 de fevereiro.

O último filme de Quentin Tarantino, "Era Uma Vez em... Hollywood", também recebeu cinco indicações, e "Coringa", quatro, inclusive de Melhor Ator para Joaquin Phoenix, favorito ao lado de Adam Driver. Nessa categoria, ele concorre com Antonio Banderas por seu aclamado papel em "Dor e Glória", longa autobiográfico dirigido por seu compatriota Pedro Almodóvar, premiado em Cannes. A produção espanhola também concorre a Melhor Filme Estrangeiro.

"Era Uma Vez em... Hollywood"/Divulgação

O Globo de Ouro, que neste ano volta a ser apresentados pelo mordaz Ricky Gervais, está entre os mais cobiçados prêmios do cinema americano e é um indicador das possibilidades dos filmes e atores no Oscar.

No ano passado, "Roma", de Alfonso Cuarón, recebeu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, e Melhor Diretor. "Não me surpreende o domínio, me surpreende o tamanho desse domínio", disse o presidente da HFPA, Lorenzo Soria, sobre o poder da gigante do streaming nesta edição. A Netflix também dominou as indicações para a televisão, com 17, contra 15 de seu atual rival HBO.

Quatro delas foram para "The Crown", uma série produzida por esta plataforma sobre a família real britânica na qual Olivia Colman interpreta a rainha Elizabeth II. "The Morning Show" e a dupla de atrizes formada por Jennifer Aniston e Reese Witherspoon deu ao novo serviço de streaming da Apple TV+ três indicações.

"Não votamos em função do gênero"

Este ano, os membros do júri não incluíram mulheres na lista de indicados para o prêmio de direção, o que abriu novamente o caminho para protestos. "Não nos representam (...) Não esperem nenhuma justiça no sistema de recompensas", criticou no Twitter Alma Har'el, diretora do filme "Honey Boy", que não passou para as indicações.

"Estou decepcionada", disse Greta Gerwig. "Adoro o filme que fizemos e é claro que é satisfatório ser homenageado". "Também há muitos filmes lindos feitos por mulheres neste anos". Soria garantiu à Variety que na HFPA "não votamos em função do gênero, votamos em função dos filmes e seus méritos".

Para Grey, "2019 foi um ano muito bom para o cinema" e "todos os diretores que foram indicados mereceram". "Também houve muitos homens que não foram incluídos, por isso não acho que seja um simples caso de preconceito contra as diretoras".

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE