Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Confira a localização dos mil quilômetros que terão estudos para concessão
As análises, com base em levantamentos técnicos e de campo, devem durar cerca de oito meses, mais o período que passará pelos órgãos fiscalizadores.
Assessoria Gov/RS
por  Assessoria Gov/RS
28/01/2020 10:42 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A fim de garantir investimentos necessários para melhorar as estradas do Rio Grande do Sul, qualificando os acessos e a infraestrutura de 63 municípios, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) executará estudos técnicos necessários para conceder à iniciativa privada mais de mil quilômetros de rodovias gaúchas. O contrato foi assinado pelo governador Eduardo Leite no dia 17 de janeiro.

Trechos em laranja mostram as novas concessões e em cinza, as concessões em andamento - Foto: Ascom e Departamento de Concessões e PPPs/SGGE

As primeiras reuniões entre os técnicos do governo do Estado e do BNDES foram realizadas sob coordenação do secretário extraordinário de Parcerias, Bruno Vanuzzi. "Os primeiros contatos com o BNDES são importantes para definir detalhes que vão nortear o trabalho. As análises, com base em levantamentos técnicos e de campo, devem durar cerca de oito meses, mais o período que passará pelos órgãos fiscalizadores. A expectativa é de que até o fim desse ano o edital esteja concluído”, afirmou. Depois disso, haverá a licitação das estradas à iniciativa privada. “Não é uma demanda simples, pois as concessões serão de 30 anos", avaliou.

Os estudos definirão as medidas necessárias para qualificar as rodovias, como duplicações, implantação de terceiras faixas e obras de segurança viária para as comunidades próximas, entre outras medidas. Ao todo, são 18 rodovias contempladas, que resultam em 1.028 quilômetros de extensão, sendo 760 quilômetros trechos atualmente pedagiados e sob administração da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) e outros 268 quilômetros de responsabilidade do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer).

Sobre tarifas e novas praças de pedágio, o secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, que também trabalha no projeto das novas concessões, salienta que essas informações só serão conhecidas com o término do estudo, assim como aconteceu nas concessões da ERS-324 e RSC-287. "No momento, não existe nenhum indicador que aponte valores ou a necessidade de novos pedágios. A maioria dos trechos, inclusive, são pedagiados atualmente. Nossa postura será técnica e transparente, dialogando com as comunidade e interessados, só assim teremos sucesso nas concessões das nossas estradas", disse.

Após a conclusão do processo de concessão, com a definição de quem administrará os trechos das rodovias, a Secretaria de Logística e Transportes (Selt) fiscalizará a prestação do serviço. "O futuro do Estado na área da infraestrutura de transportes depende de projetos transparentes, que estejam em sintonia com as demandas da sociedade", garante o titular da Selt, Juvir Costella. "Dessa forma, iremos fiscalizar o serviço, para que possamos entregar à população rodovias mais seguras e em condições melhores de trafegabilidade."

As concessões promovidas pelo governo fazem parte do programa RS Parcerias, lançado em março de 2019, que busca promover o desenvolvimento do Estado por meio de investimentos privados e visando a melhoria dos serviços públicos.

Rodovias que fazem parte do estudo de concessão:

• ERS-239

• ERS-122

• ERS-240

• RSC-287 (trecho que não consta na concessão em andamento)

• ERS-474

• ERS-040

• ERS-784

• ERS-115

• ERS-235

• ERS-466

• ERS-020

• ERS-130

• ERS-129

• RSC-453

• ERS-128

• RSC-135

• ERS-446

• VRS-813

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE