Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Seleção feminina enfrenta o Canadá na última rodada do Torneio da França
Técnica Pia Sunhdage promete mais mudanças na terceira partida em solo francês.A partida será hoje as 15h (horário de Brasília), em Calais.
GE
por  GE
10/03/2020 13:50 – atualizado há 12 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

No último amistoso pelo Torneio da França, a seleção brasileira feminina de futebol enfrenta o Canadá nesta terça-feira, às 15h (horário de Brasília), em Calais, novamente com modificações na escalação. Depois de empatar com a Holanda em 0 a 0 e perder para a França por 1 a 0, ambos na cidade de Valenciennes, a técnica Pia Sundhage voltará a fazer testes na equipe. O amistoso terá portões fechados, seguindo as recomendações das autoridades locais, por precaução contra o coronavírus.

Cristiane domina a bola no treino da seleção feminina em Calais — Foto: A2M/CBF
Nesse três jogos nós decidimos testar muitas coisas e é o que estamos fazendo. Mas não apenas isso, também estamos testando o papel que cada jogadora tem. Eu quero dar à maioria das jogadoras uma chance. Será muito interessante ver como nos recuperamos da derrota para a França, nós iremos encontrar um novo time, o Canadá não joga como a França. Mas é bom ter mais um jogo, será um pouco uma revanche - afirmou Pia após o treino de segunda-feira.

Em novembro, a seleção goleou o Canadá por 4 a 0, em um torneio amistoso disputado na China. Foi a última vez que o Brasil marcou em um amistoso em data Fifa. Depois disso, a equipe empatou em 0 a 0 com a China, pelo mesmo torneio, e só venceu o México, duas vezes (6 a 0 e 4 a 0), em dezembro, fora da data internacional de amistosos, quando as equipes não puderam contar com jogadoras da Europa. No Torneio da França, o Brasil tenta voltar a marcar e se despedir com vitória.

Depois de mostrar evolução defensiva, com apenas três gols sofridos nos dez amistosos disputados desde a chegada de Pia Sundhage, o Brasil enfrenta uma dificuldade inesperada: criar oportunidades de ataque.

Conversamos sobre aquele jogo (contra o Canadá), porque de fato fizemos uma boa partida. Agora é uma oportunidade de provar que podemos ter aquele mesmo tipo de ataque. Se voltarmos em alguns jogos, nós fizemos vários cruzamentos, mas contra a Holanda e a França não tivemos a mesma quantidade de cruzamentos. Então, esse será o próximo passo. Nós estamos mudando um pouco e falando mais sobre ataque e como podemos criar mais chances de gol. Nós sabemos como, só precisamos ser mais precisas - disse a treinadora sueca.

Na posição com maior disputa na seleção, a lateral direita, Pia perdeu uma das possíveis titulares por lesão. Letícia Santos sofreu ruptura de ligamento do joelho direito, precisará operar e deverá ficar cerca de seis meses fora dos gramados. A lesão, sofrida no primeiro tempo do amistoso contra a França, tira da jogadora a possibilidade de ir aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho. Titular em quatro dos dez amistosos com Pia Sundhage, Letícia Santos foi a lateral-direita mais utilizada pela treinadora, que lamentou a lesão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE