Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
A melhor idade: os cuidados necessários com o Coronavírus
Docente do Senac Saúde dá dicas para os idosos aproveitarem melhor a quarentena
Bianca Scottá - Usina de Notícias
por  Bianca Scottá - Usina de Notícias
26/03/2020 13:29 – atualizado há 4 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Com a recomendação do Ministério da Saúde para manter quarentena e isolamento social por conta do coronavírus, algumas pessoas estão tendo dificuldades para se adaptar a essa realidade e ficar em casa. Os idosos, que fazem parte do grupo de risco, são os mais afetados. Além da necessidade de isolamento, é preciso tornar a casa um lugar convidativo e seguro para aqueles que estão na melhor idade.

Hoje, a legislação determina que idosos são pessoas acima dos 60 anos. Com essa idade, alguns são extremamente ativos e saudáveis, outros nem tanto. Além disso, existem aqueles que sofrem de alterações psíquicas, perda de memória, diminuição da massa muscular, ossos mais frágeis e audição e visão reduzidas. Quando o assunto é segurança residencial, nestes casos, o tema acaba sendo mais amplo. O docente do Senac Saúde, Giuliano Tramontini, explica que a organização é primordial nesse momento atual. 

“A casa tem que ser sempre bem organizada, sem deixar coisas espalhadas que podem acarretar em tropeços e deslizes. Os pisos têm que ser firmes, preferencialmente com antiderrapante e, de preferência, sem outros tipos de tapetes, que são perigosos nessa idade”. Dados do Ministério da Saúde mostram que 56,6% das mortes acidentais de idosos acontecem como consequência de uma queda. Sendo assim, barras de apoio acabam sendo interessantes no banheiro, especialmente no box do chuveiro. “Na hora do banho, chinelos não são bem-vindos, já que podem trancar no chão e causar acidentes. Aí sim, um tapete antiderrapante é uma boa escolha”, completa.

Quanto ao Coronavírus é importante que não saia com o idoso de casa. Sempre que sair a rua e retornar, é preciso higienizar bem as mãos, evitar o maior contato possível, como beijos e abraços. 

Dependendo do local de trabalho, é indicado até que troque de roupa ao chegar em casa e deixe os calçados do lado de fora ao retornar. Giuliano ainda defende que o cuidado com a imunidade é um fator determinante na luta contra o vírus.

“Quando falamos em grupos de riscos, colocamos também hipertensos, diabéticos e outros com problemas de imunidade. Seguir as recomendações das autoridades é o primeiro passo, incluindo o isolamento social, para que não ocorra a disseminação do vírus. Caso necessário ter alguma movimentação, como ir à farmácia, por exemplo, é imprescindível ter o álcool em gel em mãos. A vacina contra a gripe se faz necessária em um momento desses”. 

A queda de imunidade na terceira idade é um processo normal de degradação do corpo em relação à saúde. As orientações básicas são para que se durma bem, pelo menos oito horas por dia, a fim de recuperar as energias, tenha uma alimentação saudável e que pratique esportes, com os cuidados necessários para idade. Estar com a mente sã também faz bem ao corpo, segundo Giuliano. “Fazer terapia e exercitar o cérebro são ótimos passos para o bem-estar. Buscar um geriatra é imprescindível para oferecer uma melhor condição de saúde”.

Além dos idosos de forma individual, é preciso pensar na higienização de uma forma mais ampla. O banho diário é algo primordial, junto com a troca de roupa. A higiene bucal e, quando é o caso, da prótese, é importante também. Quando o assunto é o local, temos que entender que a limpeza vai além de tudo estar perfumado, que passa uma falsa sensação de limpeza muitas vezes. “As pessoas limpam de forma inadequada, mas não percebem”, complementa o docente. 

O uso do álcool 70% nas superfícies é o mais indicado, pois ele demora um pouco mais para evaporar e não agride a pele. Outra questão que não se dá a atenção necessária é o uso da água e do pano para limpeza: é preciso utilizar um para o banheiro, outro para a cozinha e um terceiro para o restante da casa, evitando assim a contaminação cruzada. “É preciso começar dos locais menos contaminados para os mais contaminados. No banheiro, por exemplo, inicia-se a limpeza pelo espelho, suporte para toalha, pia. Depois, paredes, chão e, por último, vaso sanitário”, ensina o especialista em gestão de segurança.

Outros cuidados especiais que devem ser tomados durante o isolamento são os seguintes: 

  • não compartilhar louças e talheres ou toalhas de corpo e rosto;
  • usar preferencialmente sabonetes líquidos;
  • desinfetar as superfícies sempre que possível e evitar qualquer contato físico mais próximo. 

Os cuidados com os nossos idosos é um assunto sério neste momento. Cuidar da nossa saúde é cuidar da deles também.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...