Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
Bolsonaro deve fazer pronunciamento em rede nacional neste sábado
Presidente projeta pressionar mais estados e municípios por reabertura geral do comércio
CP
por  CP
15/05/2020 23:36 – atualizado há 15 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O presidente Jair Bolsonaro pretende fazer neste sábado um novo pronunciamento em rede nacional de TV e rádio para defender mais uma vez o fim de medidas de isolamento social. Segundo apurou o jornal Estado de S. Paulo, a intenção do presidente é pregar um “cavalo de pau” nas atuais determinações de Estados e municípios, citando que já incluiu uma série de atividades na lista de serviços essenciais, o que permite o funcionamento mesmo durante a pandemia do coronavírus .

Isác Nóbrega / PR / Divulgação CP

“Nós temos que ter mais do que comercial de esperança, transmitir a confiança. Tanto é que vamos ter um pronunciamento gravado para sábado à noite nessa linha”, disse o presidente na ocasião. O presidente defende uma abertura geral de estabelecimentos e o chamado “isolamento vertical” – que vale apenas para idosos e doentes. Contra as medidas de restrição adotadas por governadores e prefeitos, Bolsonaro tem argumentado que o fechamento do comércio trará o “caos” e a “fome” para a população que está sem renda.

O pronunciamento ainda não havia sido gravado até a noite de sexta-feira, o que só deve ocorrer neste sábado. Em sua última mensagem em rede nacional, Bolsonaro já havia pedido a volta ao trabalho e responsabilizado governadores por medidas de distanciamento social.

Segundo o próprio presidente, esse pronunciamento deverá passar pela revisão do ministro da Economia, Paulo Guedes. “Pedi ao Paulo Guedes que já comece a revisar o que eu vou falar para gente dar mensagem logicamente objetiva, voltada para a vida, voltada para a economia, para nós sairmos da situação em que nos encontramos”, disse. Ao falar a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que está fazendo “o que pode”. “A lei me deu o direito de escolher as atividades essenciais. O resto, que não é essencial, é a cargo de governadores e prefeitos."

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...