Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Segurança
Polícia Civil investiga morte de bebê de 10 meses em Erechim
À Polícia Civil a mulher confirmou ser usuária de drogas, mas negou a versão apresentada pelo companheiro.
Assessoria/Polícia Civil/RS
por  Assessoria/Polícia Civil/RS
28/05/2020 11:34 – atualizado há 2 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Um homem de 42 anos foi preso em Erechim, no bairro Aeroporto, na madrugada desta quinta-feira (28), suspeito de matar o enteado, de apenas 10 meses. Segundo a Polícia Civil, que investiga o caso, a criança teria sido agredida na região da cabeça, enquanto a mãe - que é usuária de drogas - saiu para comprar entorpecentes em um bairro vizinho. Em seu depoimento, no entanto, a mulher, de 31 anos, informou que havia deixado a residência para buscar leite na casa de conhecidos - versão já desmentida pela Polícia.

Ao retornar para casa, ela encontrou o companheiro alterado e com sinais de embriaguez. Quando questionou o paradeiro do filho, o homem afirmou que a criança dormia e não deveria ser incomodada. Só que ao verificar a situação, a mãe constatou que o menor estava ferido e, aparentemente, sem vida.

“Ela deixou a casa com o filho no colo, conseguiu ajuda de populares e foi levada de carro até o Hospital Santa Terezinha. Infelizmente, a criança já teria entrado sem vida”, conta o titular da 2ª Delegacia de Polícia de Erechim, delegado José Roberto Lukaszewigz, citando o depoimento da mãe da criança. Lukaszewigz ficou responsável pelo caso.

O homem foi preso em casa, por policiais militares – os mesmos que foram chamados ao hospital para registro da ocorrência. Já na delegacia, negou ser responsável pela morte da criança. Disse ainda que a mulher não teria saído de casa para pegar leite, mas comprar drogas e que estava acompanhada dele. Quando voltaram à residência, segundo ele, a criança já estava sem vida. À Polícia Civil a mulher confirmou ser usuária de drogas, mas negou a versão apresentada pelo companheiro. A Polícia tem 10 dias para concluir o Inquérito Policial.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...