Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Santa Catarina
Entre Rios, no oeste catarinense, é a cidade com mais casos de coronavírus por habitante
Prefeito da pequena cidade do Extremo-Oeste catarinense determinou o fechamento de todas as atividades não essenciais por 10 dias
NSCTotal
por  NSCTotal
02/06/2020 11:09 – atualizado há 35 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Com 2,8 mil habitantes, o pequeno município de Entre Rios, no Extremo Oeste de Santa Catarina, é o primeiro no Estado em número de casos de coronavírus per capita. São 267 casos para cada 10 mil habitantes, segundo dados do Painel do Coronavírus. No total, a cidade já confirmou 98 contaminações por Covid-19 e uma morte desde o início da pandemia. Essa crescente fez com que a prefeitura decretasse estado de calamidade pública nessa segunda-feira (1º).

Durante os próximos 10 dias, todos os serviços considerados não essenciais estarão fechados. Assim, somente ficam abertos os mercados, as farmácias e os postos de combustível, além de estabelecimentos públicos de saúde e segurança. Os serviços retornam no dia 11 de junho, segundo informou o prefeito Jurandi Dell Osbel.

- De uns dias para cá foi aumentando os casos, então tomamos novas providências. Segunda-feira passada (25), já paramos o comércio, mantendo mercados, farmácias e postos de gasolina e também pedindo para o pessoal ficar em casa e usar máscaras. Hoje (1º), fiz outro decreto que fecha o transporte, fecha a prefeitura e mantém a saúde atendendo 24h - explicou.

A disseminação do vírus, segundo o prefeito, ocorre especialmente pela falta de cuidados da população, já que todas as medidas que cabem ao governo municipal teriam sido tomadas desde o início da pandemia, como o fechamento total dos serviços durante 15 dias, quando foi confirmada a presença do vírus no estado e o distanciamento mínimo entre as pessoas, acompanhado de outros cuidados com higiene e uso de máscaras, quando as atividades voltaram a funcionar:

- Decretei calamidade pública hoje, porque não estavam respeitando as orientações como deveriam. Agora vamos atuar com mais fiscalização, tanto da vigilância sanitária, como da polícia, conforme foi conversado hoje com o Comando da PM.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...