Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rádio Uirapuru
Segurança
Chacina na Cohab em Passo Fundo: ex-brigadiano e mandante são presos pela Polícia Civil
A polícia procura por dois outros suspeitos de envolvimento no crime.
Rádio Uirapuru
por  Rádio Uirapuru
27/06/2020 12:49 – atualizado há 5 horas
Continua depois da publicidadePublicidade

Na manhã deste sábado (27), a Delegada Titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Desaparecidos da Polícia Civil em Passo Fundo, Daniela de Oliveira Minetto, relatou as prisões efetuadas e o andamento das investigações sobre a chacina que aconteceu no bairro Edmundo Trein em Passo Fundo.

O crime ocorreu na noite do dia 19 de maio deste ano, no interior de uma residência localizada na Rua Ernesto Ferron, próximo ao CTG Eduardo Muller. Naquela ocasião, Alessandro dos Santos, Dieniffer Padia e a adolescente Ketlyn Padia, foram mortos estrangulados com lacres plásticos.

Os policiais iniciaram as diligências e conseguiram identificar a motivação do crime. A vítima Dieniffer se envolveu com o patrão na cidade de Casca, e desse romance tiveram uma filha. Em razão do nascimento da criança, a vítima exigia algumas coisas do agricultor.

Neste período ela ganhou uma casa, tinha cartão de crédito e queria um auxílio para montar uma loja no centro de Passo Fundo. Portanto, o relacionamento extraconjugal e exigências financeiras motivaram a sua morte.

A esposa do patrão, acompanhada do irmão, descobriu o relacionamento e começou a produzir ameaças contra Dieniffer e sua família. Inclusive, no mês de março enviou uma caixa com uma boneca mutilada e manchas vermelhas.

Com o objetivo de executar a vítima, os mandantes contrataram um ex-policial militar de Passo Fundo e lhe ofertaram R$ 30 mil. O acusado, negou o crime, mas forneceu detalhes e acabou preso preventivamente no dia 19 de junho. No seu apartamento os policiais apreenderam R$ 17.500,00 e algumas armas.

Durante as investigações, a companheira do ex-brigadiano prestou depoimento na Delegacia e afirmou que negociou um telefone celular de Diennifer pelas redes sociais e compareceu na sua casa para buscar o eletrônico e aproveitou para conhecer a rotina da família.

Segundo a Delegada, as outras duas pessoas que foram mortas na casa “estavam no lugar errado e na hora errada”. A única sobrevivente só não foi morta por estar dormindo na casa dos fundos durante o crime.

A delegada Daniela destacou que as investigações prosseguem na busca de identificar os executores do crime. Dois mandantes, o patrão e o ex-policial, já foram presos. A mulher e o irmão seguem foragidos. Qualquer denúncia pode ser repassada ao telefone 197 da Polícia Civil.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...