Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Polícia Civil / Divulgação / CP
Segurança
Homicídios apresentam queda superior a 21% em junho no RS, apontam dados da Segurança
Indicadores foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, que coordena o programa RS Seguro
Correio do Povo
por  Correio do Povo
09/07/2020 10:16 – atualizado há 34 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Os homicídios tiveram uma queda de 21,9% em junho no Rio Grande do Sul, com 125 mortes, na comparação com o mesmo mês no ano passado, que registrou 160 óbitos. Já no primeiro semestre deste ano, que teve 901 mortes, a redução foi de 8,7% em relação aos seis primeiros meses de 2019, que ficou com 987 mortos. Os dados constam nos indicadores de criminalidade divulgados na manhã desta quinta-feira pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP) que coordena o programa RS Seguro. Entre os assassinatos do mês passado, 16 deles foram de presos que tiveram liberdade concedida pelo Poder Judiciário devido à pandemia do novo conronavírus. Caso eles não tivessem sido libertados, a retração de homicídios em junho teria sido de 31,9%.

Conforme a diretora do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, delegada Vanessa Pitrez, a redução dos casos no mês passado reflete a intensificação do trabalho integrado entre as forças de segurança em áreas conflagradas, o que possibilitou ampliar as prisões de suspeitos de assassinato. “A partir da observância de leve crescimento nos índices nos meses anteriores, a Polícia Civil e a Brigada Militar aumentaram a saturação em áreas afetadas pela guerra do tráfico, que notadamente ocasiona homicídios”, explicou. “Ainda em maio, diante de aumento apresentado já nos primeiros dias daquele mês, foi deflagrada pelo DHPP a operação Maio Vermelho. Com apoio da BM, logramos êxito em estancar a disputa entre duas organizações criminosas sediadas em Porto Alegre por meio da prisão de autores de homicídios que elas patrocinavam”, observou. “A partir daí, as ações repressivas se ampliaram em junho, quando, só em Porto Alegre, a Polícia Civil efetuou a prisão de 66 pessoas com envolvimento em assassinatos”, acrescentou delegada Vanessa Pitrez.

Os indicadores de criminalidade também apontaram decréscimo nos latrocínios, que são os roubos com mortes das vítimas. Segundo a SSP, o primeiro semestre teve uma redução de 12,8%, com 34 casos, no comparativo ao mesmo período do ano passado, que fechou com 39 ocorrências. No entanto, junho passado apresentou sete roubos com óbitos enquanto o mesmo mês em 2019 havia tido cinco, uma alta de 40%.

Um dos destaques positivos nos indicadores de criminalidade foi a redução semestral de 19,8% nos roubos de veículos em relação aos primeiros seis meses do ano passado, caindo de 6.045 ocorrências para 4.850. Já na avaliação mensal, junho teve 663 casos contra 864 no mesmo mês de 2019, uma redução de 23%.

Para o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon, o cenário está diretamente atrelado à estratégia elaborada pelo programa RS Seguro. “A queda se deve, em primeiro lugar, ao foco dado pelo RS Seguro a este tipo de crime. Outro fator importante é o trabalho integrado e de inteligência das polícias, que permitiu a prisão de grupos criminosos que se especializaram nos últimos anos no roubo de veículos”, avaliou. “Certamente a redução da circulação pela pandemia também teve impacto, mas é importante observarmos que em junho, já com o distanciamento controlado funcionando a pleno, o total de casos foi ainda menor do que em abril e maio, quando as restrições eram maiores”, comentou o coronel Rodrigo Mohr Picon.

O número de ataques a banco e a transporte coletivo também despencaram no RS. No acumulado do primeiro semestre de 2020, comparado a igual período do ano passado, esses dois tipos de crime caíram pela metade. De acordo com a SSP, nos ataques a banco, somados furtos e roubos, os casos reduziram de 59 para 29, representando uma queda de 50,8%. Já no transporte coletivo, contando os registros envolvendo passageiros, motoristas e cobradores de ônibus e lotações, o número baixou de 1.298 para 656, significando uma diminuição de 49,5%.

Por sua vez os feminicídios reduziram 11,1% em junho, com oito casos, ao passo que o mesmo mês do ano passado ficou em nove ocorrência. Trata-se do segundo mês seguido de retração, após uma série de medidas adotadas pelas forças de segurança para intensificar as ações de proteção. O primeiro semestre, porém, fechou com alta de 24,4% no número de assassinatos por motivo de gênero, com 51 mulheres vítimas ao passo que o mesmo período de 2019 registrou 41 mortes. Nos demais índices, o quadro é de queda: ameaças (-13%), lesões corporais (-9,4%) e tentativas de feminicídio (-9,3%). Já o número de estupros ficou praticamente estável. As planilhas completas estão disponíveis na página de estatísticas do site da SSP.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...