Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Economia
Cai arrecadação dos municípios lindeiros da Usina Hidrelétrica de Itá
Queda foi praticamente pela metade. Houve também diminuição de 47% na geração de energia elétrica nos primeiros seis meses do ano na comparação com 2019.
Folhasete/Rádio Rural
por  Folhasete/Rádio Rural
27/07/2020 17:33 – atualizado há 49 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O repasse de recursos pela utilização do lago do rio Uruguai para produção de energia elétrica aos municípios lindeiros teve decréscimo de 46,5% no primeiro semestre de 2020 se comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apurados pelo jornal Folhasete nesta semana, além da queda de 46,5% na movimentação financeira, houve também diminuição de 47% na geração de energia elétrica nos primeiros seis meses do ano na comparação com 2019. Em 2020 a Usina Hidrelétrica de Itá gerou 2.001.477,04 MW/h de energia. O valor destinado aos municípios, estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e à União correspondeu a R$ 10.944.994,95. No mesmo período do ano passado, a usina havia gerado 3.844.881,66 MW/h e repassado R$ 20.476.463,08.

A compensação financeira é pelo resultado da utilização de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica. As cidades lindeiras são as maiores beneficiárias da compensação, pois recebem mensalmente da Hidrelétrica Itá um valor que contribui para o seu desenvolvimento. Neste ano o problema foi a estiagem que reduziu o nível do lago e a produção de energia, diminuindo, consequentemente, a venda e o faturamento. Do montante total gerado pelo empreendimento, 7% do valor total da energia produzida e comercializada, multiplicados pela Tarifa Atualizada de Referência (TAR), que tem como base a venda de energia às distribuidoras – excluídos os encargos setoriais vinculados à geração, tributos e empréstimos compulsórios e os custos de transmissão – são atribuídos a municípios, estados e Governo Federal. As cidades com direito ao repasse ficam com 45% do montante a ser distribuído, os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina com outros 45% e o restante vai para a União.

Os 10 municípios banhados pelas águas do reservatório do lago da UHE Itá receberam R$ 5.492.193,37 no primeiro semestre deste ano. Pela ordem, as cidades mais beneficiadas com os recursos são Concórdia, Aratiba, Mariano Moro e Alto Bela Vista.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...