Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Polícia vai apurar crime em casos de abuso do limite de velocidade
Excesso de velocidade é a maior causa de infrações de trânsito no Rio Grande do Sul; ação da Polícia Civil abrange controle em Porto Alegre.
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
28/08/2020 15:19 – atualizado há 2 minutos
Continua depois da publicidadePublicidade

Trafegar em velocidade superior ao que é permitido na via é infração de acordo com o Código de Transito Brasileiro. A gravidade varia conforme o nível atingido pelo condutor. Se a velocidade for até 20% maior que o permitido, a infração é média; de 20% a 50%, grave; acima de 50%, gravíssima. A penalidade para todos esses casos é a multa.

No entanto, a legislação possibilita ações mais duras quando o limite é ultrapassado em 50% nas proximidades de hospitais, escolas e outras áreas com grande circulação de pessoas. Para apurar esses casos, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul começou a abrir procedimentos criminais a partir desta semana. A medida, por enquanto, só vale em Porto Alegre. As informações são da Rádio Guaiba.

Os flagrantes feitos por radares da EPTC serão encaminhados à delegacia, que irá identificar o motorista e firmar um termo circunstanciado. O documento pronto será enviado ao Judiciário.

Brayan Martins/PMPA

Excesso de velocidade

O titular da Delegacia de Crimes de Trânsito (DCT) da Polícia Civil explica que os condutores não devem ser presos, mas cumprir penas alternativas. Carlo Butarelli comenta que, durante a pandemia, aumentaram os casos de excesso de velocidade. “A gente tem notado que, como tem um fluxo menor de veículos na rua, o pessoal tem excedido muito a velocidade”, observou. “Além da responsabilidade monetária, que é a multa que a pessoa vai tomar, e a suspensão do direito de dirigir, que é uma medida administrativa, nós vamos agora também passar a autuar da forma criminal”, detalhou Butarelli.

O delegado Carlo Butarelli citou exemplos de veículos importados flagrados em alta velocidade em avenidas da Zona Norte de Porto Alegre. “Um na rua Edu Chaves, às quatro da tarde, o radar pegou ele a 165 km/h. Teve outro veículo, na Salvador França, a 146 km/h. São potenciais assassinos do trânsito, a chance de provocar uma tragédia é muito alta”, sustentou o titular da DCT.

O artigo 218 do Código de Trânsito, que trata do excesso de velocidade, é o que mais provoca multas no Rio Grande do Sul. Segundo levantamento do Detran, 505 mil infrações do tipo foram registradas no Estado até julho deste ano.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...