Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Tragédia que deixou 27 mortos e 90 feridos no Oeste de SC completa 13 anos
Duplo acidente ficou marcado na história como um dos maiores acidentes rodoviários de Santa Catarina
ClicRDC
NDMais
por  ClicRDC  e NDMais
09/10/2020 23:18 – atualizado há 41 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Um dos maiores acidente rodoviários de Santa Catarina completou 13 anos nesta sexta-feira (09). No dia 09 de outubro de 2007, dois graves acidentes deixaram 27 pessoas mortas e outras 90 feridas na BR-282, em Descanso, no Oeste de Santa Catarina.

O primeiro acidente aconteceu por volta das 19h15 e envolveu um ônibus de São José do Cedro (SC) e uma carreta de Frederico Westphalen (RS). Além dos dois motoristas, outras nove pessoas morreram.

Duas horas depois, por volta das 21h, enquanto as equipes de segurança realizavam o socorro das vítimas feridas e a remoção dos corpos, houve outro grave acidente. Uma carreta, sem freio, carregada com 30 toneladas de açúcar desceu a serra desgovernada e provocou a morte de mais 16 pessoas. Entre as vítimas estavam jornalistas, bombeiros, policiais e populares.

Foto: Jorge Haaz/RBS/Divulgação/ClicRDC

O motorista, Rosinei Ferrari foi preso, julgado e condenado a 21 anos de prisão em outubro de 2015, por 14 homicídios dolosos e dois homicídios culposos, além de 16 lesões corporais dolosas. Houve recurso da decisão e o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) manteve a condenação em 14 anos de prisão.

Gilmar Turatto, proprietário do caminhão conduzido por Rosinei foi julgado em abril de 2016 e condenado a 18 anos de prisão por 16 crimes de homicídio e 21 crimes de lesão corporal grave.

Socorristas, agricultores, motoristas e jornalistas morreram no local – Foto: Agência RBS

Quando a tragédia completou 11 anos, foi inaugurado no quartel do Corpo de Bombeiros de São Miguel do Oeste o monumento em homenagem aos seis praças que morreram em serviço.

A iniciativa em construir o monumento foi da Aprasc (Associação de Praças de Santa Catarina), em conjunto com familiares, colegas e amigos das vítimas. Na época, um vídeo com relatos de sobreviventes e amigos emocionou o país. Veja abaixo:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...