Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Cidade
Semana Integrada de Agronomia da URI discute a bioanálise no manejo de solos
Penúltima palestra da Semana Integrada de Agronomia da URI, foi realizada na noite de quinta-feira, 08, com o engenheiro agrônomo Vitor Vargas.
Secom URI
por  Secom URI
14/10/2020 21:37 – atualizado há 20 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Na penúltima palestra da Semana Integrada de Agronomia da URI, realizada na noite de quinta-feira, 08, o engenheiro agrônomo Vitor Vargas falou sobre a “Bioanálise na estratégia de manejo de solos com intensificação agrícola”. Acadêmicos, professores, profissionais da área e pesquisadores da Embrapa ouviram o convidado destacar que, atualmente, “apenas a análise química do solo não é suficiente para alcançar altos tetos produtivos, ou seja, corrigir o nível de fertilidade do solo do ponto de vista químico não garante que a semente venha expressar todo o seu potencial genético quanto ao quesito produtividade”.

Por outro lado, disse ele, a atividade biológica do solo vem sendo considerada, nos últimos anos, como um parâmetro importante para essa detecção de potencial produtivo. Em ensaios conduzidos com algumas espécies, têm sido efetivamente confirmado. Nos experimentos realizados têm sido observado a existência de uma forte correlação entre a atividade biológica do solo e o potencial produtivo em algumas espécies cultivadas, tais como milho e soja. Esse maior potencial produtivo verificado nos solos com maior atividade biológica está relacionado a vários fatores, como a maior capacidade de retenção de água no solo, pois esta é extremamente relevante, principalmente naqueles anos onde há longos períodos de estiagem.

Ainda de acordo com Vargas, a biologia do solo permite ao pesquisador avaliar a saúde do solo em diferentes sistemas de cultivo. A análise biológica na camada de zero a 10 centímetros, permite detectar a variação de algumas enzimas, tais como B-glicosidase e Fosfatase. A grande vantagem deste tipo de análise é poder fazer algumas intervenções no manejo do solo de forma que possa minimizar ou até mesmo reverter o resultado indesejável, ou seja, a baixa produtividade das lavouras cultivadas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...