Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Clima
Falta de chuva agrava situação da estiagem no interior do RS
A escassez de água obrigou o município de Frederico Westphalen, por exemplo, a realizar abastecimento para a população mediante o uso de caminhões-pipa.
Metsul
por  Metsul
10/11/2020 22:02 – atualizado há 1 minuto
Continua depois da publicidadePublicidade

A estiagem já traz prejuízos e deixa municípios do norte gaúcho em situação de emergência pelos efeitos dos déficits de chuva. De acordo com o jornal O Alto Uruguai, além do impacto na agricultura e na pecuária, a escassez de água também obrigou o município de Frederico Westphalen, por exemplo, a realizar abastecimento para a população mediante o uso de caminhões-pipa. Comunidades como Barra do Braga, São Roque e Distrito do Castelinho recebem água por caminhões para consumos humano ou animal.

Tiago Delbrücke/Arquivo

Prefeituras da região passaram a decretar situação de emergência na tentativa de chamar atenção das autoridades estaduais e federais, e eventualmente conseguir recursos para atenuar os impactos gerados pela estiagem. Além de Frederico Westphalen, que publicou o decreto no fim de outubro, Palmitinho, Alpestre, Cerro Grande, Cristal do Sul, Caiçara, Iraí, Novo Tiradentes, Boa Vista das Missões, Planalto, Vista Alegre, Seberi, Pinhal informaram danos à Defesa Civil e emitiram os decretos nesta semana.

A Defesa Civil antecipa que a lista de municípios em emergência deve aumentar nos próximos dias, já que muitos estão contatando a Defesa Civil solicitando orientações e visitas do órgão. Com a publicação dos decretos em cada município, a Defesa Civil agora trabalha em cada localidade para homologar os documentos e o levantamento das perdas junto aos governos do estado e federal.

A tendência não é nada animadora para as próximas semanas, diz a meteorologista da MetSul Estael Sias. Segundo Estael, o fenômeno La Niña que desfavorece a chuva segue em intensificação até o fim do ano e deve ser forte a intenso na virada do ano. Conforme Estael, não chega a deixar de chover nas próximas semanas, mas as precipitações tendem a ser muito irregulares e em muitos locais com baixos volumes, o que deve agravar o quadro de déficit hídrico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...