Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Política
Site de sistema eletrônico do Tribunal de Justiça do RS sofre ataque hacker
Segundo nota oficial da instituição, o não houve dano ou prejuízo aos sistemas do Tribunal de Justiça
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
11/11/2020 18:05 – atualizado há 5 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) confirmou que o site do sistema de processamento eletrônico (E-proc) sofreu um ataque hacker, nesta quarta-feira. Segundo nota oficial da Direção de Tecnologia da Informação e Comunicação do TJ, o “hosite informativo do E-proc foi adulterado por hackers”, mas após a estabilização do sistema, não houve registro de dano ou perda de informações. A Corte também garante que o ataque não atingiu processos ou outros bancos de dados do Judiciário estadual.

Depois de corrigir o problema, o Tribunal reforçou a proteção ao sistema. Outras medidas foram adotadas para rastrear a autoria do ato.

O e-Proc, desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), é adotado pelo TJ-RS desde novembro de 2017. O objetivo é, além da eliminação de papel, agilizar os trâmites dos processos e a integração entre os órgãos.

Na semana passada, os sistemas do Superior Tribunal de Justiça (STJ) também foram alvo de uma invasão hacker, fato que causou a interrupção de julgamentos que ocorriam simultaneamente, por videoconferência, nas seis turmas do STJ. Os prazos processuais foram suspensos e as demandas urgentes, centralizadas na presidência da Corte.

O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, acionou a Polícia Federal, que abriu inquérito para investigar a extensão do ataque e conta com ajuda do Comando de Defesa Cibernética do Exército. Informações preliminares indicaram que o ataque partiu de uma empresa particular estrangeira e havia sido programado três meses atrás.

Outros sistemas oficiais também foram atingidos na semana passada: os do Ministério da Saúde, da Secretaria de Economia do Distrito Federal e do governo do Distrito Federal. Até agora, não há confirmação de relação desses ataques com o do STJ.

A situação despertou preocupação do ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que, para buscar soluções para proteger a Justiça de novos ataques, anunciou a criação de um comitê na corte administrativa.

O presidente Jair Bolsonaro disse que a PF já identificou o responsável pelo ataque ao sistema do STJ. Uma semana depois, a informação ainda não é confirmada.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...