Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Política
Absolvido em processo de impeachment, Carlos Moisés é reconduzido ao cargo no governo de SC
Carlos Moisés e sua vice, Daniela Reinehr, também são alvo de um processo de impeachment – ainda não julgado – pela compra de respiradores logo no início da pandemia do novo coronavírus.
AtualFM
por  AtualFM
27/11/2020 14:16 – atualizado há 18 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), foi absolvido no tribunal especial de julgamento nesta sexta-feira (27). Com isso, ele retorna ao cargo. O chefe do executivo foi julgado por crime de responsabilidade no aumento salarial dado aos procuradores do estado. Ele foi absolvido por 6 votos a 3, com uma abstenção.

Divulgação

O julgamento ocorreu no plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), em Florianópolis.

Moisés estava afastado do cargo de governador desde 27 de outubro. Isso ocorreu porque o tribunal especial, em sessão de 24 de outubro, decidiu aceitar a denúncia contra ele e rejeitar a parte referente à vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido). Por causa disso, ela assumiu como governadora interina desde que Moisés foi afastado.

A sessão começou às 9h10min, e foi aberta pelo presidente do Tribunal de Justiça (TJ-SC), Ricardo Roesler, que também preside o julgamento. Moisés era acusado de cometer crime de responsabilidade ao fazer uma equiparação salarial de procuradores do Estado à mesma faixa salarial dos procuradores da Alesc. Na última quarta, desembargadores do Grupo de Câmaras do Direito Público do TJ-SC julgaram que o aumento dado aos procuradores foi legal.​

O deputado Kennedy Nunes (PSD), que é relator do processo, fez um pedido de vista coletivo. Ele citou que a recente decisão dos desembargadores e a decisão administrativa da governadora em exercício Daniela Reinehr (sem partido) precisam ser melhor avaliadas por ele. O deputado justificou que foi diagnosticado com Covid nesse período e que isso impossibilitou que ele pudesse se inteirar melhor sobre o assunto.

Apesar desse pedido, a sessão seguiu com as manifestações individuais dos julgadores. Antes da votação, Kennedy Nunes retirou o pedido de vista, que poderia adiar a votação por cinco dias.

O governador não compareceu à sessão na Alesc e acompanhou o julgamento da Casa D'Agronômica, residência oficial do governador.

Carlos Moisés e sua vice, Daniela Reinehr, também são alvo de um processo de impeachment – ainda não julgado – pela compra de respiradores logo no início da pandemia do novo coronavírus.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...