Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Educação
MEC recua e desiste de retorno das aulas em janeiro
O ministério foi criticado por universidades que se recusaram a voltar às aulas porque não consideram que este seja o melhor momento.
CNN Brasil
por  CNN Brasil
02/12/2020 15:03 – atualizado há 13 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O ministério da Educação recuou e decidiu revogar a portaria em que determina o retorno das aulas presenciais das universidades a partir de janeiro, depois de uma série de repercussões negativas. O ministro, Milton Ribeiro, afirmou à CNN que irá abrir uma consulta pública para ouvir o mundo acadêmico antes de tomar nova decisão.

O ministério foi criticado por universidades que se recusaram a voltar às aulas porque não consideram que este seja o melhor momento. "Quero abrir uma consulta pública para ouvir o mundo acadêmico. As escolas não estavam preparadas, faltava planejamento", afirmou o ministro à coluna.

Na contramão de novas medidas de restrição que vem sendo adotadas nos Estados, o ministério havia decidido liberar a volta de estudantes universitários para dentro das salas de aula.

Perguntado sobre o que levou o ministério a editar a portaria, o ministro afirmou que consultou mantenedores de universidades antes e que não esperava tanta resistência. "A sociedade está preocupada, quero ser sensível ao sentimento da população", disse à CNN.

De acordo com Milton Ribeiro, agora o ministério vai liberar o retorno às aulas somente quando as instituições também estiverem confiantes de que as aulas podem ocorrer em segurança.

Entre as instituições que recusaram a ideia de retorno presencial das aulas está a Universidade de Brasília, uma das principais do país. Em nota, a UnB criticou o fato da flexibilização da regra ocorrer "em um momento de aumento das taxas de contaminação pelo coronavírus em diversos estados e no Distrito Federal". A Universidade também ressaltou que a pandemia "ainda não deu sinais de arrefecimento – pelo contrário".

Em nota a UFFS também se manifestou contrária ao retorno. 

CARTA À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UFFS
SOBRE A PORTARIA MEC Nº 1.030, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2020
Na manhã do dia 02 de dezembro de 2020, a Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS tomou conhecimento do teor da Portaria MEC nº 1.030, de 1º de dezembro de 2020, publicada no D.O.U nº 230, Seção 1, p. 55). Por meio dessa portaria, que entra em vigor a partir de 04 de janeiro de 2021, o Ministério da Educação – MEC dispôs sobre o retorno às aulas presenciais, observado o protocolo de Biossegurança instituído na Portaria MEC nº 572, de 1º de julho de 2020.No entanto, diante do grave contexto de pandemia (Covid-19), o cuidado, a proteção e a valorização da vida de todos os membros da comunidade universitária é prioridade. Assim, a UFFS seguirá o planejamento acadêmico na perspectiva prioritária do ensino remoto, nos termos determinados pela Resolução nº 35/CONSUNI/UFFS/2020. Desse modo, o Protocolo de Biossegurança instituído na UFFS permanece em vigor, devendo ser seguido por todos.A UFFS está acompanhando com atenção os desdobramentos dos efeitos da Portaria nº 1.030/2020, de modo a manter a todos informados. Decisões futuras sobre esse assunto deverão ser tomadas pelo Conselho Universitário (CONSUNI), em momento oportuno. Por isso, solicitamos a todos que se tranquilizem porque o momento é de cuidado e atenção às pessoas, de modo a se evitar riscos ou perigos à saúde.
Reitoria e Fóruns das Direções e Coordenações Acadêmicas da UFFS.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...