Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech
Aplicativo Google Fit receberá recurso capaz de medir frequência cardíaca e respiração
A função não exigirá nenhum gadget além do smartphone, e é feita com auxílio da câmera do celular.
G1/Tecnoblog
por  G1/Tecnoblog
08/02/2021 14:51 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O aplicativo Google Fit receberá, a partir de março, um recurso capaz de medir a sua frequência cardíaca e monitorar a sua respiração. A função não exigirá nenhum gadget além do smartphone, e é feita com auxílio da câmera do celular. Inicialmente, a novidade desembarca nos telefones Pixel, mas há planos para que o Google expanda a funcionalidade para outros smartphones Android no futuro.

Para monitorar a sua frequência respiratória, é necessário enquadrar o rosto e a parte superior do corpo na câmera frontal do aparelho, seguindo as orientações fornecidas pelo app. O procedimento permite que o software determine a velocidade da sua respiração com base no movimento de inspirar/expirar do seu tórax.

Já o rastreamento de frequência cardíaca a câmera para identificar mudanças praticamente imperceptíveis na cor dos seus dedos. O monitoramento dessas pequenas alterações é chamado no campo da saúde/pesquisa científica de fotopletismografia (PPG) – e os sinais, geralmente, não conseguem ser registrados a olho nu.

Google Fit mede frequência cardíaca e respiratória (Imagem: Divulgação/Google)

O monitoramento cardíaco com o celular é eficaz?

Como forma de acompanhamento, no dia a dia, a tecnologia promete ser eficaz. No entanto, ela não deve ser utilizada como forma de diagnóstico. O Google explica:

Embora essas medições não sejam destinadas a diagnósticos médicos ou para avaliar condições médicas, esperamos que possam ser úteis para quem usa o aplicativo Google Fit para monitorar e melhorar o bem-estar no dia a dia. (…) Desenvolvemos ambos os recursos – e concluímos os estudos clínicos iniciais para validá-los – para que funcionem em uma variedade de condições do mundo real e para o maior número possível de pessoas.

A empresa afirma ainda que o algoritmo de frequência cardíaca é capaz de considerar fatores cruciais como iluminação, tom de pele e idade para funcionar corretamente. Após a medição, o usuário ainda pode guardar o registro no aplicativo para manter um histórico de saúde e identificar tendências com o tempo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...