Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
Coordenador da 19ª Região tradicionalista afirma que entidades precisaram se reinventar na pandemia
De acordo com Rosset, para superar o momento as entidades precisaram reduzir custos
Leandro Vesoloski
por  Leandro Vesoloski
11/02/2021 09:38 – atualizado há 6 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

As entidades tradicionalistas de todo Estado foram 
impactadas pela pandemia do coronavírus e em Erechim não foi diferente. De acordo com Armelindo Rosset, coordenador da 19ª Região Tradicionalista, as entidades precisaram cumprir as determinações impostas em todo Rio Grande do Sul e enfrentaram dificuldades devido as restrições.

Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

De acordo com Rosset, para superar o momento as entidades precisaram reduzir custos. Ele disse que algumas entidades precisaram dispensar os instrutores das invernadas. Para o coordenador a classe dos músicos também sentiu de forma mais dura a falta dos eventos.

Armelindo Rosset explicou que as entidades que possuem uma estrutura mais sólida conseguiram enfrentar o momento com menos dificuldades, mas que foi preciso buscar alternativas para se manter ativas. Rosset citou como exemplo a comercialização de viandas e alimentos para levar.

O coordenador disse que 2021 ainda deverá ser um ano difícil. Ele acredita que mesmo com a vacina, as restrições para eventos não devam terminar em um curto espaço de tempo.

O tradicionalista informou que em algumas entidades os ensaios das invernadas foram retomados com uma série de cuidados que estão sendo adotados como distanciamento e ensaios com número reduzido de pessoas.

Armelindo ressaltou que cada um precisa fazer a sua parte e que neste momento as aglomerações prejudicam a todos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...