Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Prefeitos apelam por continuidade da cogestão; decisão do governo estadual será anunciada hoje à tarde
Governador Eduardo Leite fez apelo para que gestores municipais reforcem fiscalização caso modelo continue em vigor.
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
22/02/2021 13:23 – atualizado há 3 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O governador Eduardo Leite (PSDB) anuncia, na tarde desta segunda-feira (22), a posição do Rio Grande do Sul frente ao modelo de cogestão, que permite aos prefeitos gaúchos adotarem medidas mais brandas de combate à Covid-19 do que as previstas pelo Estado. No período da manhã, o político se reuniu, virtualmente, com representantes da Federação das Associações de Municípios (Famurs) e entidades regionais para discutir o tema.

Foto: Felipe Dalla Valle/ Palácio Piratini

Praticamente todos os prefeitos que se manifestaram no encontro disseram ser favoráveis à manutenção da cogestão – que, na prática, vai permitir que as regiões em bandeira preta permaneçam sob os protocolos do nível vermelho de Distanciamento Controlado. Um deles foi o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), que foi enfático ao atribuir o agravamento da pandemia às aglomerações irregulares, em momentos de lazer.

“Esse é um momento muito delicado, que requer muita responsabilidade e muito equilíbrio. Não pode pagar a conta quem trabalha, quem tem emprego e quem já está fechando, por todo o Rio Grande do Sul, e não volta mais. Perdemos milhares de CNPJs”, declarou Melo. A fala foi endossada pelos representantes de Portão, Kiko Hoff (PDT); Nova Santa Rita, Rodrigo Battistella (PT), dentre outros.

Após a fala dos gestores municipais, Leite indicou que vai acatar os pedidos e manter a cogestão. Na oportunidade, o governador fez um apelo aos colegas. “Que se exerça com muito rigor a fiscalização. É um trabalho que precisa ter caráter pedagógico. Não é só fazer a fiscalização, mas dar visibilidade, fechando estabelecimentos que não estão cumprindo as medidas, mostrando que há atuação do Poder Público”, pediu o tucano.

Colapso do sistema pode acontecer nos próximos dias

Eduardo Leite também apresentou novos dados referentes ao avanço da Covid-19 no Rio Grande do Sul. Segundo o governador, a capacidade de atendimento nas UTIs está à beira do colapso, e pode se esgotar em apenas três dias para a macrorregião dos Vales. No Centro-Oeste do Estado, o prazo é de cinco dias. Já na Região Metropolitana e na Serra, o esgotamento levará uma semana com base no ritmo atual.

“Neste momento, nada é 100% seguro. Nem eu estar aqui, com os meus secretários, mesmo com distanciamento. A gente reduz contatos, reduz riscos, mas não há nada que garanta a total segurança. Nem mesmo a máscara e o álcool em gel utilizados abundantemente. Sempre há algum nível de risco, e pelo nível crítico que vem pela frente, acoplar mais restrições ajudaria a ter mais segurança”, ponderou o governador.

Antes da reunião, o presidente da Famurs e prefeito de Taquari, Maneco Hassen (PT), disse ser favorável à interrupção da cogestão, por tempo indeterminado, na tentativa de frear o avanço da doença. O posicionamento do representante vai de encontro com a recomendação do Comitê Científico de Apoio ao Enfrentamento à Pandemia – que, em nota técnica, defendeu o fim do modelo “com base nos indicadores epidemiológicos”.

Quer receber as notícias do AU pelo whatsapp? Clique aqui

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...