Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Rio Grande do Sul
Fisioterapia da URI irá promover reabilitação ambulatorial dos pacientes Pós-Covid
Os pacientes de COVID , de Erechim e da Região Alto Uruguai, que ainda apresentam sintomas importantes e incapacitantes, podem participar do Programa de Reabilitação.
Assessoria/URI-Erechim
por  Assessoria/URI-Erechim
24/02/2021 07:18 – atualizado há 47 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Todos os pacientes que tiveram COVID de Erechim e da Região Alto Uruguai, que ainda apresentam sintomas importantes e incapacitantes, podem participar do Programa de Reabilitação.

Sabe-se que a COVID-19 tem acometido muitas pessoas em Erechim e na região Alto Uruguai e um bom número delas apresentou piora no quadro respiratório necessitando de atendimento hospitalar. Por esta razão, tendo conhecimento de todos os problemas causados por essa pandemia, e sabendo da necessidade desses pacientes em realizarem a reabilitação, o Curso de Fisioterapia da URI Erechim abraça essa causa e expande o Programa de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica já existente, para atender pacientes PÓS-COVID-19. O atendimento vai ocorrer junto à Clínica de Fisioterapia, localizada no Centro de Estágios e Práticas Profissionais (URICEPP).

A reabilitação ambulatorial será realizada pelos estagiários do 5º- ano, supervisionado de forma direta e presencial pelos professores e preceptores. Todos os pacientes que tiveram COVID de Erechim e da Região Alto Uruguai, que ainda apresentam sintomas importantes e incapacitantes, podem participar do Programa de Reabilitação. Os interessados devem entrar em contato com a secretária da Clínica Escola de Fisioterapia da URI, pelo fone 3520-9000 – ramal 9311.

Segundo o fisioterapeuta e preceptor do Curso de Fisioterapia, Diogo Tápia, alguns pacientes acometidos pela COVID-19 desenvolvem formas leves, moderadas e graves da doença e as sequelas não são só respiratórias. “Muitos pacientes, após a alta hospitalar, apresentam déficits importantes neurológicos, musculoesqueléticos, cardiovasculares, entre outros, necessitando uma abordagem multiprofissional”, ponderou.

A fisioterapeuta e professora do Curso, Fernanda Dal’Maso Camera, enfatiza que, “com essas inúmeras complicações, o processo de reabilitação ambulatorial para esses pacientes é fundamental, visando o restabelecimento das atividades pessoais e profissionais de forma segura”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...