Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Política
Leite sanciona projeto de lei que remaneja recursos para compra de vacinas para o RS
Proposta foi aprovada pela Assembleia Legislativa nessa terça.
Correio do Povo
por  Correio do Povo
24/02/2021 14:02 – atualizado há 58 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou no começo da tarde desta quarta-feira que sancionou o projeto de lei 11/2021, que autoriza remanejamentos no orçamento do ano para a compra de vacinas contra a Covid-19. A proposta foi aprovada nessa terça-feira pela Assembleia Legislativa. Leite comunicou a assinatura através de seu perfil do Twitter.

Nessa terça, logo depois da aprovação do projeto, o governador informou que negocia a compra de doses de imunizantes da Pfizer. A vacina da empresa americana teve seu registro definitivo aprovado pela Anvisa, mas não integra ainda o Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde. O Executivo estadual também faz articulações com a União Química, responsável pela fabricação da Sputnik V.

Leite sanciona projeto de lei que remaneja recursos para compra de vacinas para o RS | Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini / Divulgação / CP

Leite reforçou o discurso de cuidado com o coronavírus no Rio Grande do Sul e citou que nem mesmo a ampliação de leitos de UTI pode ser suficiente para conter a velocidade de propagação do vírus. “A pandemia é real e está no ponto mais crítico. Hoje, estamos com 89,9% dos leitos de UTI ocupados, é a maior taxa desde o início da pandemia, sendo que mais que dobramos a capacidade no Estado. O esforço de ampliação continua, mas é limitado e não há expansão que seja suficiente se o vírus continuar a se alastrar na atual velocidade", argumentou.

O projeto de lei

O PL 11/2021 altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, reduzindo a previsão de déficit orçamentário de R$ 8,1 bilhões para R$ 3,6 bilhões, e estabelecendo ajustes técnicos que permitem remanejamentos orçamentários para a possibilidade de compra de vacinas e para o reconhecimento de despesas ligadas à desestatização de empresas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...