Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
Sindilojas Alto Uruguai não está medindo esforços para que o comércio permaneça aberto
A atual classificação é de Bandeira Preta na cidade.
Maria Lúcia Carraro Smaniotto
por  Maria Lúcia Carraro Smaniotto
25/02/2021 08:47 – atualizado há 11 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O Sindilojas Alto Uruguai não está medindo esforços, assim como a Fecomércio-RS, para que o comércio permaneça aberto. No domingo, 21, à tarde, o Sindilojas esteve representado em uma reunião com o prefeito Paulo Polis, ao lado dos presidentes da ACCIE e CDL, levando a preocupação de todo o comércio com o fechamento frente à classificação de Bandeira Preta pelo Sistema de Distanciamento Controlado do Governo do Rio Grande do Sul.

Segundo o presidente do Sindilojas Alto Uruguai, José Gelso Miola, o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, participou, na segunda-feira, 22, de reunião com o governador Eduardo Leite e outras entidades empresariais para discutir as alternativas para a contenção da pandemia de Covid-19 e evitar o fechamento do comércio. A Fecomércio-RS apoia o esforço para evitar aglomerações e para reforçar a adoção de medidas que previnam o contágio, mas advertiu, também, que o fechamento do comércio na bandeira preta seria uma medida extrema, sem efetividade comprovada, que causaria graves prejuízos ao emprego e à renda de milhões de pessoas.

No entendimento da Fecomércio-RS e do Sindilojas Alto Uruguai, providências como a repressão às aglomerações, paralisação de atividades entre as 22h e as 05h e a redução na ocupação dos espaços comerciais, sem o seu fechamento total, são razoáveis perante o estágio da pandemia no Rio Grande do Sul.

O Sindilojas Alto Uruguai defende e sempre defendeu o funcionamento do comércio, porém entende que se deve respeitar os decretos do Governo do Estado e seguir as determinações deles emanadas. Porém, é categórico ao afirmar que não concorda com protestos de qualquer natureza e, por isso, solicita que os empresários tenham muita calma. “Estamos negociando e pleiteando de todas as formas que o comércio não feche”, finalizou Miola.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...