Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Cidade
Comitê de Atenção ao Coronavírus se reúne com secretários de Saúde da R16
Momento impõe ações regionalizadas e integradas. Mais da metade dos municípios da região têm mais de dez casos ativos
Salus Loch/Assessoria AMAU
por  Salus Loch/Assessoria AMAU
02/03/2021 14:51 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus da AMAU realizou reunião ampliada nesta terça-feira, 2, com a presença dos integrantes do colegiado e de todos os secretários de saúde da Região 16.

O encontro, por videoconferência, teve por objetivo avaliar o cenário da epidemia a nível regional, que vem se agravando com números preocupantes, e também no sentido de traçar ações e estratégias necessárias para o momento.

Na oportunidade, foram repassadas informações sobre a retirada da cogestão por parte do governo do estado, dados do boletim regional que apontam 999 casos ativos para o universo monitorado, taxas de ocupação das estruturas hospitalares e óbitos.

53% dos municípios da R16 têm mais de 10 casos ativos

Outro elemento apresentado foi o cenário regional dos municípios considerando os casos ativos. Atualmente apenas um município não apresenta nenhum caso ativo; três apresentam de 1 a 3; 12 municípios possuem nos seus registros de 4 a 10 casos ativos; e 18 municípios, o que correspondem a 53%, possuem mais de 10 casos ativos.

Após debate foi deliberado a retomada de todas as ações preventivas e estudo de viabilidade de ampliação dos leitos de UTI e clínicos, em negociação com os hospitais que possuem alas Covid (FHSTE e HCE), mediante interlocução permanente do presidente da AMAU e prefeito de Erechim, Paulo Polis.

Durante a reunião foi repassado, face ao cenário agravado, que os municípios observem seus estoques de medicamentos, especialmente os indicados para assistência da Covid, bem como os insumos necessários para a atenção hospitalar.

Os serviços de saúde, tanto da Atenção Básica como Terciária (hospitais) vão acolher orientação do Estado para reduzir atendimentos eletivos, priorizando os atendimentos de urgência e emergência, a fim de auxiliar na redução nos níveis de contaminação.

Para Jackson Arpini, integrante do comitê regional, o momento impõe ações regionalizadas e integradas. “Precisamos melhorar os indicadores. Nessa linha, apesar da gravidade do cenário, cada atitude pode fazer a diferença”, pontua.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...