Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Na mensagem de Páscoa, papa pede que vacinas contra o coronavírus sejam distribuídas a países pobres
Pontífice rezou pelos profissionais de saúde, doentes, desempregados e pessoas que perderam entes queridos
O Sul
por  O Sul
04/04/2021 10:05 – atualizado há 33 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Em um pronunciamento antes da bênção de Páscoa deste domingo (04), o papa Francisco pediu que as vacinas contra a Covid-19 sejam compartilhadas com os países pobres.

“No espírito de um ‘internacionalismo das vacinas’, convoco toda a comunidade internacional ao compromisso de superar as desigualdades na distribuição [das doses] e a de promover a partilha [delas], especialmente às nações mais pobres”, afirmou o pontífice, na basílica de São Pedro, no Vaticano.

Ele pediu que Deus conforte os doentes, os que perderam pessoas amadas e os desempregados. Também clamou às autoridades que proporcionem às famílias necessitadas um “sustento decente”. Em seguida, o papa orou pelos médicos e falou sobre as crianças e jovens que não podem ir à escola, por causa da pandemia. Todos devem combater a Covid-19, disse.

Guerra e violência

O papa Francisco também criticou a continuidade das guerras e das disputas armamentistas mesmo durante a pandemia. “A crise social e econômica é muito grave, especialmente para os mais pobres, e, apesar de tudo [e isso é escandaloso], os conflitos armados não cessam, e os arsenais militares são reforçados”, declarou.

“Há ainda muitas guerras e muita violência no mundo! Que Deus, que é a nossa paz, ajude-nos a superar a mentalidade da guerra.” Francisco mencionou algumas áreas que vivem conflitos armados, como Mianmar, onde 500 manifestantes foram mortos desde o início de fevereiro. Discursou também sobre os conflitos no Iêmen e no continente africano.

Sobre a guerra entre israelenses e palestinos, o papa desejou que o poder do diálogo seja redescoberto para encontrar uma solução que traga paz e prosperidade a ambos os lados.

Sem a presença de fiéis

Pelo segundo ano seguido, o papa Francisco faz seu pronunciamento de Páscoa sem a presença de fiéis. Por causa da pandemia, apenas poucos policiais assistiram presencialmente ao ritual. O Vaticano está no terceiro dia seguido de lockdown.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...