Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Economia
EM SC projeto de lei pode tornar o home office permanente para servidores do estado
O principal argumento de quem defende a medida é a economia aos cofres públicos, inclusive em aluguel de imóveis e de transporte para o funcionalismo.
NSCTotal
por  NSCTotal
06/04/2021 11:20 – atualizado há 11 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Um projeto de lei para regulamentar o home office no Governo do Estado de SC, que precisa passar pela Assembleia Legislativa, está às voltas com idas e vindas entre as secretarias estaduais. A proposta teve assinatura do então secretário Jorge Tasca, análise da Casa Civil, e tem um bom número de simpatizantes no Centro Administrativo. Mesmo assim, não foi adiante – na última movimentação, em 18 de março, a matéria voltou para a Secretaria de Estado da Administração.

O motivo do vaivém é porque o projeto altera o Estatuto do Servidor - e, por isso, será necessário consultar outros órgãos e poderes estaduais como Judiciário e Legislativo, que também serão afetados pela eventual mudança.

Economia

O principal argumento de quem defende a medida é a economia aos cofres públicos. A estimativa é que, ao regulamentar o trabalho remoto, o Estado poderia economizar pelo menos 50% do que gasta hoje com aluguel de imóveis – um desembolso de R$ 2,8 milhões ao mês somente com a locação, sem contar despesas de manutenção e condomínio. No governo federal, por exemplo, a adesão de 54 mil servidores ao teletrabalho gerou economia de R$ 1,4 bilhão no ano passado – entra na conta a redução de despesas como diárias, passagens, água e luz.

Produtividade

Informalmente, o home office já vem sendo adotado pelas secretarias estaduais em Santa Catarina para proteger a saúde dos servidores em meio ao agravamento da pandemia. A avaliação é que a produtividade do funcionalismo aumentou, especialmente pela carga horária. Em casa, os servidores estão mais tempo à disposição do que no horário de expediente, que é das 12h às 19h. O home office do serviço público já foi regulamentado por lei em estados como Espírito Santo e cidades como São Paulo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...