Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Exportações da indústria no RS crescem mais de 57%
Dos 24 setores da indústria de transformação, 22 aumentaram o valor exportado sobre maio de 2020.
Assessoria/FIERGS
por  Assessoria/FIERGS
11/06/2021 13:44 – atualizado há 11 minutos
Continua depois da publicidadePublicidade

As exportações da indústria de transformação gaúcha cresceram 57,1%, em maio, ante o mesmo mês do ano passado, ao totalizarem US$ 1,2 bilhão. Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, parte deste resultado positivo se explica pela fraca base de comparação, embora ele tenha sido o maior valor para o mês desde 2013, e 15% superior a maio de 2019. No acumulado de 2021, as vendas externas alcançaram US$ 4,9 bilhões, um avanço de 26,1% na comparação interanual. Entretanto, com relação a 2019, a distância ainda é de 4,2%.

Dos 24 setores da indústria de transformação, 22 aumentaram o valor exportado sobre maio de 2020. Além da base deprimida, o resultado é justificado pela disseminação do crescimento entre os principais setores da indústria, como Alimentos, 36,4%; Químicos, 62,6%; Celulose e papel, 126%; e Máquinas e equipamentos, 96,5%. Também se destacaram Couro e calçados, com elevação de 105,5%, Produtos de metal, 51,9%; e Veículos automotores, 42,5%. A única exceção foi Tabaco, com queda de 8,4%. “As medidas de flexibilização das atividades, a retomada gradual da economia em diferentes países, ajudaram a impulsionar novamente as exportações, muito prejudicadas no ano passado em função da crise provocada pela pandemia”, reforça o presidente da FIERGS.

Apesar do crescimento das exportações gaúchas no mês passado na maioria dos setores industriais, o desempenho setorial no acumulado do ano em relação aos níveis de 2019 possui diferenças importantes. Entre os setores que já superaram esse patamar, se destacam Alimentos (64,4%), Produtos de metal (31,8%) e Máquinas e equipamentos (12,9%). Por outro lado, entre aqueles que ainda estão em terreno negativo, estão Tabaco (-26,9%), Couro e calçados (-7,8%), Celulose e papel (-60,1%), Químicos (-22,3%) e Veículos automotores (-44,5%).

PRINCIPAIS DESTINOS - Em relação aos destinos das vendas externas do RS, em comparação a maio de 2020 ocorreu grande aumento dos embarques totais para a China (50,9%). Mesmo com a fraca redução observada nas exportações da indústria de Alimentos para a economia asiática no mês, as vendas de soja em grãos (+US$ 317,8 milhões) garantiram esse avanço. As exportações totais para os Estados Unidos também aceleraram, 115,1%. Nesse caso, contribuíram principalmente Coque e derivados do petróleo (+US$ 34,4 milhões), Máquinas e equipamentos (+US$ 12,6 milhões) e Couro e calçados (+US$ 11,0 milhões). Para a Argentina, as exportações totais subiram 34,2% em razão das altas de Químicos (+US$ 8,7 milhões) e Veículos automotores (+US$ 5,5 milhões).

Em maio, o Estado adquiriu US$ 940,3 milhões em mercadorias, demanda 120,6% superior a maio de 2020. No acumulado do ano, o RS importou US$ 3,6 bilhões, resultado 30,9% maior ante o mesmo período do ano passado. Com exceção de Combustíveis e lubrificantes, todas as grandes categorias apresentaram crescimento das importações, sendo a maior variação em Bens intermediários (+US$ 691,5 milhões), seguido de Bens de capital (+US$ 253,1 milhões) e Bens de consumo (+US$ 70,7 milhões).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...