Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Secretaria da Saúde alerta que baixas temperaturas reforçam necessidade de vacinar contra a gripe
Meta é imunizar 90% dos grupos prioritários.
Ascom SES
por  Ascom SES
01/07/2021 21:42 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

Com a chegada das baixas temperaturas do inverno gaúcho, a Secretaria da Saúde (SES) reforça que os integrantes dos grupos prioritários devem fazer a vacina contra a gripe Influenza H1N1. Iniciada em 12 de abril, a Campanha Estadual de Vacinação contra a Gripe se encerra em 9 de julho e tem como meta a imunização de 90% de um contingente de 5.013.082 pessoas que formam o público-alvo no Rio Grande do Sul.

O Vacinômetro da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2021, do Ministério da Saúde, mostra que os índices ainda estão baixos no Estado, principalmente entre os grupos de gestantes (55,6%), idosos (55,9%) e crianças de zero a seis anos (59,1%).

Foto: Gustavo Flores/Ascom SES

A secretária da Saúde, Arita Bergmam, destaca que o Estado, em 2020, cumpriu a meta de 90%. “No ano passado, as pessoas fizeram a sua dose e, neste ano, precisamos avançar na cobertura vacinal”, comenta. Ela cita os idosos como um público prioritário que deve ser vacinado imediatamente. “Estamos com menos de 60% de cobertura entre os idosos, então peço que se mobilizem procurando um posto de saúde para fazer a vacina”, explica. "Tomar a vacina é evitar doenças graves que podem levar as pessoas à hospitalização, e os hospitais ainda estão com uma taxa de ocupação elevada em função da Covid-19.”

A chefe da Divisão de Epidemiologia do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri, reafirma que, entre a população acima dos 60 anos, a vacina contra a influenza reduz o número de casos que podem evoluir para Síndromes Respiratórias Agudas (SRAG) e internação hospitalar.

A vacina contra a gripe é aplicada nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos municípios. Nesse ano, a campanha é paralela à campanha de vacinação contra a Covid-19. A orientação é que deve ser respeitado o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação das duas vacinas.

Pessoas que fazem parte de grupos prioritários em que as datas das etapas já passaram ainda podem se vacinar contra a influenza. Todas as doses das vacinas estão disponibilizadas nas unidades de saúde dos municípios gaúchos.

GRUPOS PRIORITÁRIOS E DATAS DAS ETAPAS

1ª etapa: de 12 de abril até 10 de maio

• Crianças acima dos 6 meses e menores de 6 anos – 765.827

• Gestantes e puérperas – 117.541

• Trabalhadores da saúde – 361.210

• Povos indígenas – 30.347

2ª etapa: de 11 de maio até 8 de junho

• Pessoas acima dos 60 anos – 2.143.707

• Professores – 141.254

3ª etapa: de 9 de junho até 9 de julho

• Pessoas com comorbidades – 777.224

• Pessoas com deficiência permanente – 399.436

• Caminhoneiros – 111.289

• Trabalhadores de transporte coletivo – 42.831

• Trabalhadores portuários – 4.051

• Forças de segurança e salvamento – 31.489

• Forças Armadas – 38.899

• Funcionários do sistema prisional – 4.881

• População privada de liberdade – 40.099

Total: 5.013.082

Painel da Campanha de Vacinação da Influenza.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...