Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Educação
Solidariedade desde cedo: estudantes de Erebango se engajam em ações sociais
Uma das iniciativas é o ‘Varal do Aconchego: Se tiver sobrando, doe! Se precisar, pegue!’
Izabel Seehaber/Ascom Prefeitura de Erebango
por  Izabel Seehaber/Ascom Prefeitura de Erebango
12/07/2021 11:36 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Ajudar a quem mais precisa. Essa é uma atitude que pode ser estimulada cedo. Prova disso é a mobilização de estudantes e professores da educação infantil e ensino fundamental de Erebango.

Uma das iniciativas é o ‘Varal do Aconchego: Se tiver sobrando, doe! Se precisar, pegue!’, em desenvolvimento pelas turmas do Pré A e B (Escola Municipal de Educação Infantil Vó Alma) do turno da tarde. O objetivo é despertar a solidariedade e a sensibilidade nas crianças, construindo, assim, atos de cidadania. Diante disso, as crianças foram incentivadas a doar roupas, calçados ou cobertores à escola. As peças foram expostas em um varal organizado em frente à instituição.

Tudo começou a partir da iniciativa da professora Ivanilde Severo Brustolin que convidou a educadora, Marielin Menin de Miranda e prontamente se engajaram na causa. “Abraçamos a ideia enviado bilhetes para as famílias e pedindo doações. No dia seguinte o varal estava cheio. Foi essencial pois naquela semana fazia um frio intenso”, destaca Marielin, citando que a turma do Pré B, da qual é regente, tem 18 alunos, sendo que 12 participam presencialmente e seis, por meio de atividades remotas.

Varal do Aconchego - Turma do Pré B, com a professora Marielin Menin de Miranda

Segundo a idealizadora da campanha, inicialmente foi trabalhado em sala de aula o tema: as pessoas do mundinho e os tipos de moradias. “Comentei que tem muitas que não tem onde morar, o que comer e nem o que vestir. As crianças me diziam que era só eles irem no mercado, nas lojas e comprar o que necessitavam. Expliquei que eles moram na rua porque não tem dinheiro e dependem da caridade das pessoas e que vivem com o que ganham ou procuram nas lixeiras. Então surgiu a ideia da campanha”, explica Ivanilde.

“Sempre temos algo que não usamos mais. O projeto, além de ser uma atividade solidária, elencou algumas preocupações de acordo com seus princípios educativos remetendo-os a questionamentos que ampliam os seus conhecimentos, pois uma criança questionou se a polícia não iria prender as pessoas que pegam as roupas no varal do aconchego. A ideia do varal é para que as pessoas não se sintam constrangidas em deixar o que não usam ou pegar o que precisam e que lhe será útil”, destaca.

Na turma do Pré A são 14 crianças envolvidas. A campanha envolveu, também, toda a comunidade erebanguense.

Varal do Aconchego - Turma do Pré A, com a professora Ivanilde Severo Brustolin

Doação de alimentos

Em paralelo, uma iniciativa que visa a arrecadação de alimentos para posterior doação à quem mais precisa, mobiliza esforços de alunos da Escola 11 de Abril. A professora responsável pela turma do 4º ano, Rosane Rech, relata que o trabalho começou a partir da reunião do projeto ‘A União Faz a Vida’, desenvolvido no município em parceria com a Sicredi. “Vivenciamos um tempo desafiador, em que muitos cidadãos precisam de ajuda. Nesse sentido, é muito importante que cada um faça a sua parte e pense no próximo”, salienta.

Conforme a educadora, foi solicitado para que, os alunos que tivessem condições, levassem algum alimento para a caixa de arrecadação. “Assim, iremos montar cestas básicas para doar à quem mais precisa. Acredito que desde o início, na educação infantil, deveria ser estimulada essa atitude de ajudar quem está ao nosso lado. É essencial fazermos o bem, isso nos deixa ainda mais felizes”, ressalta Rosane.

Ação Social de arrecadação de alimentos, desenvolvida na Escola 11 de Abril, pela professora Rosane Rech e a turma do 4º ano

As primeiras ações do projeto, contemplaram ainda, práticas de solidariedade na própria casa. Assim, os alunos fizeram fotos de alguns exemplos de ajuda a seus familiares.

A diretora da Escola 11 de Abril, Lorenice Glovacki, enaltece a alegria de observar o empenho da professora Rosane e seus alunos, ao desenvolver um trabalho motivando as crianças a serem mais solidárias, principalmente em uma fase de pandemia. “A campanha expandiu para as outras turmas e pedimos para os estudantes que, se puderem contribuir, levem os alimentos para a escola. Do mesmo modo, a população em geral. Quem tiver interesse em fazer a doação, pode se dirigir até a Escola 11 de Abril”, reforça.

A partir de agora, o propósito é prosseguir com a campanha e buscar ajuda de entidades e empresas locais.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...