Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Encontrado o corpo de um dos bombeiros desaparecidos em incêndio no prédio da SSP
Nesta tarde, 117 pessoas, entre bombeiros militares e técnicos, realizaram os trabalhos de buscas no local.
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
21/07/2021 20:31 – atualizado há 38 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Foi encontrado por volta das 18h30 desta quarta-feira (21) o corpo do tenente Deroci de Almeida da Costa, de 46 anos. A informação foi confirmada pelo governador do Estado, Eduardo Leite, e pelo vice-governador, Ranolfo Vieira Junior, durante coletiva de imprensa na noite desta quarta-feira, em frente a sede da Secretaria Estadual de Segurança Publica (SSP). O vice-governador Ranolfo afirmou que a causa da morte foi por esmagamento – corpo não estava carbonizado.

Ele estava desaparecido desde o incêndio que destruiu o prédio onde ficava a sede da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), há uma semana. 

Natural de Rio Grande, o tenente Almeida, com 22 anos de corporação, era casado e deixa dois filhos.

Foto: Rodrigo Ziebell/ Ascom GVG

Na ocasião, o 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, de 51 anos, também desapareceu em meio aos destroços e ainda não foi localizado. O sargento Munhós soma 31 anos de atividade.

Desde então, uma megaoperação de resgate, que conta com o auxílio de diversos órgãos e instituições, foi montada com o objetivo de encontrar os militares.

Buscas

No início desta noite, o comandante do 1° Batalhão do Corpo de Bombeiros (BBM) de Porto Alegre, tenente-coronel, Eduardo Estavam Rodrigues, havia relatado que as ações de resgate estão cada vez mais próximas do ponto onde os militares podem estar. “Nós chegamos em um núcleo do prédio que era a passagem, corredores, então existe uma alta probabilidade de a gente encontrar os nossos bombeiros militares”, disse o comandante a jornalista em frente ao prédio da SSP.

Durante esta quarta, 117 pessoas, entre bombeiros e técnicos, trabalharam na operação. De acordo com o tenente-coronel, são 8 células das Forças de Resposta Rápida atuando no trabalho de busca e resgate em Estruturas Colapsadas, além de uma célula das equipes de busca e salvamento. Esses dois grupos realizam buscas na área de escombros.

O militar também destacou os trabalhos dos cães farejadores, principalmente a importância das duas equipes que vieram ontem da corporação de Santa Catarina para reforçar as ações.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...