Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Justiça restabelece seletiva para promoção de sargentos na Brigada Militar
A instituição recorreu da decisão anterior, atendendo a uma ação popular que apontava irregularidades denunciadas pelos candidatos que fizeram a prova
Radio Guaíba
por  Radio Guaíba
22/08/2021 18:20 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A Justiça restabeleceu o processo seletivo interno para Curso Técnico de Segurança Pública (CTSP) da Brigada Militar para promoção de soldados a sargentos no sábado, derrubando liminar concedida para suspensão do certame na sexta-feira. A instituição recorreu da decisão anterior, tomada da juíza Marilei Lacerda Menna, da 7ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central da comarca de Porto Alegre, atendendo a uma ação popular que apontava irregularidades denunciadas pelos candidatos que fizeram a prova.

Foto: Divulgação / Prefeitura de Canoas

A BM afastou quatro policiais que teriam alterado a grade de respostas. Em torno de 8,5 mil soldados do Estado participaram da etapa, que ocorreu em julho, e a continuidade do processo está prevista para começar na segunda-feira.

A determinação foi assinada pelo desembargador Eduardo Kothe Werlang e teve como base o entendimento de que a suspensão do edital n°19/DE-DET/2021 causaria prejuízo aos demais aprovados no concurso interno e à própria corporação. Trechos do documento explicam que a magistrada de primeiro grau interpretou que os fatos ocorridos seriam suficientes para suspensão de todo o certame, a partir da existência de indícios de quebra da isonomia, impessoalidade e lisura do processo seletivo.

Porém, o desembargador compreendeu que a BM procedeu à apuração por meio de perícia técnica, afastou os envolvidos e abriu inquérito administrativo, o que demonstra preocupação e empenho em atender aos princípios que regem a administração pública, não sendo, portanto, justificativa para suspender o concurso em prejuízo dos demais candidatos, da própria corporação e do próprio interesse da segurança pública gaúcha

“Assim a constatação de irregularidades envolvendo quatro candidatos não é empecilho para prejudicar mais de dois mil e noventa candidatos de prosseguirem no certame, pois os problemas foram pontuais e não autorizam, ao menos por ora, concluir pelo comprometimento de todo processo seletivo e de seus envolvidos, realizadores e participantes. Ressalto que os envolvidos já identificados foram afastados e assim deve seguir até que tudo seja apurado”, diz partes do documento de agravo de instrumento.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...