Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Gente
No dia do casamento, noiva faz linda homenagem ao pai que morreu em 2019
“Tenho certeza que meu pai também estava lá, porque eu pude sentir”
Redação
por  Redação
01/10/2021 13:48 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A entrada da noiva em um casamento é um momento especial entre pai e filha. Mas nem todo mundo tem a chance de ter a companhia paterna até o altar, e esse foi o caso da professora xanxerense Ana Paula de Oliveira, de 25 anos.

No início de 2019, o pai de Ana Paula, seu Bento Lauri de Oliveira, ficou doente por conta da diabetes, doença da qual já vinha sofrendo há alguns anos.

Ana com o pai Bento / Arquivo pessoal

Ana e o namorado, na época, moravam com ele para poder cuidá-lo durante todo o processo, já que Bento precisou passar por uma cirurgia na vesícula. Do centro cirúrgico, o homem foi encaminhado para a UTI do Hospital Regional São Paulo (HRSP), em Xanxerê, onde permaneceu por 21 dias devido ao grave estado de saúde. Apesar de todo o cuidado e orações para que Bento melhorasse, ele acabou morrendo. 

A morte de Bento e a pandemia quase fizeram Ana desistir do casamento. Mais de um ano depois, a ideia de se casar com Felipe voltou à tona. Com o amadurecimento da ideia de casar, mesmo não tendo mais o pai ao lado para segurar sua mão na entrada, Ana Paula começou a procurar um jeito de levar Bento com ela, mesmo que de longe.

Vasculhando a internet a procura de ideias, a jovem encontrou uma noiva, que também perdeu o pai antes do casamento, e havia bordado a palavra “pai” em seu véu. Ali, o sentimento de saudade tomou conta dela e a deixou muito emocionada. Ana Paula, então, pediu à costureira que bordasse a mesma palavra em uma espécie de capa, como um véu em seu vestido de noiva, para eternizar o momento ao lado do ente querido.

Arquivo Pessoal

O casamento dos dois ocorreu no último dia 26 de setembro, em Ponte Serrada, na Igreja Nossa Senhora do Sagrado Coração de Jesus.

Foto: Arquivo pessoal

“Ninguém sabia dessa homenagem que eu iria fazer. Eu não contei para ninguém, então, foi surpresa mesmo, lá na hora do casamento”, relembra Ana Paula, que foi levada ao altar pela mãe e o irmão João Victor. “Tenho certeza que meu pai também estava lá, porque eu pude sentir”.

*Com informações de Oeste Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...