Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Cerca de 500 mil doses da Pfizer chegam ao RS para manter campanha de vacinação acelerada
O estado tem, nesta sexta, 769.027 pessoas que poderiam voltar a um posto de saúde para receber a segunda dose e ainda não o fizeram.
Ascom SES
por  Ascom SES
22/10/2021 15:21 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

O Rio Grande do Sul recebeu, na manhã desta sexta-feira (22/10), nova remessa de vacinas contra a Covid-19 da fabricante Pfizer, destinadas a seguir imunizando os gaúchos e manter os baixos índices de casos e óbitos pela doença registrados nas últimas semanas.

Foram recebidas 535.860 doses, que serão utilizadas para segunda aplicação (D2) de quem já recebeu a primeira dose há, no mínimo, oito semanas, e para idosos que já completaram o esquema vacinal há seis meses e precisam realizar o reforço da imunização.

O Estado tem, nesta sexta, 769.027 pessoas que poderiam voltar a um posto de saúde para receber a segunda dose e ainda não o fizeram ou não tiveram a aplicação devidamente registrada no sistema de informação do Ministério da Saúde. "Apenas uma dose da vacina, no caso da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac, não é suficiente para atingir a proteção ideal contra a doença", disse a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica, do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri. "É fundamental que as pessoas recebam a segunda dose, mesmo que o prazo ideal tenha passado", acrescentou.

Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini


Segunda dose (D2) com registro em atraso nesta sexta-feira (22):

• Astrazeneca: 462.178
• Coronavac: 165.058
• Pfizer: 141.791
Total: 769.027

Com cerca de 93% da população adulta vacinada com pelo menos uma dose nesta sexta (22), o Rio Grande do Sul registra queda expressiva nos óbitos por Covid-19. "A vacinação tem mostrado uma redução sensível no número de novos casos, principalmente de novas internações", disse a secretária da Saúde, Arita Bergmann. Ela apela à população que não esqueça da segunda dose. "A resposta imune exige o esquema completo da vacinação. É evidente que os agravos não são tão graves, mas sem o esquema completo os riscos são muito maiores", acrescentou.

Em 18 de março deste ano, chegaram a ser registradas 341 mortes. Desde setembro, com o avanço da vacinação no Estado, a variação média diária de óbitos está em cerca de 20.

Além das doses recebidas nesta sexta (22), o Estado distribuiu mais 400 mil vacinas das fabricantes Pfizer, Coronavac e Astrazeneca na quarta-feira (20/10). As doses foram direcionadas a indígenas idosos, imunossuprimidos, profissionais da saúde e adolescentes, além de adolescentes não indígenas e para a D2. A agilidade na distribuição das vacinas às 18 coordenadorias regionais de saúde (CRS) e aos municípios tem sido uma constante desde início da campanha de vacinação contra a Covid-19.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...