Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde
Ministério da Saúde divulgará novas orientações para 2ª dose da Janssen
A previsão é que o lote que chegou ao Brasil nesta semana seja enviado aos estados na sexta-feira
Correio do Povo
por  Correio do Povo
18/11/2021 16:46 – atualizado há 7 minutos
Continua depois da publicidadePublicidade

Apesar do anúncio do Ministério da Saúde de que quem foi imunizado com a vacina de dose única da Janssen receberá uma segunda aplicação, ainda não é possível encontrar o imunizante nos postos de vacinação. A previsão da pasta é começar a liberar o novo lote aos estados e ao DF nesta sexta-feira, junto às instruções para a segunda dose.

Breno Esaki/Agência Saúde DF

O ministério recebeu, na última sexta-feira, um milhão de doses da Janssen, mas o lote ainda não foi entregue aos entes federados porque passa por processo de descongelamento e inspeção.

"Nós distribuímos ordinariamente duas pautas por semana. Essa da Janssen será a partir de sexta-feira, se forem todas liberadas. Nessas projeções, estaremos distribuindo com todas as orientações", detalhou a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid, Rosana Leite de Melo, durante a coletiva de anúncio sobre as mudanças nas estratégias vacinais, incluindo a da Janssen, na terça-feira.

Na ocasião, a pasta anunciou que todos os brasileiros acima de 18 anos receberiam uma dose de reforço contra a Covid-19 após cinco meses do esquema vacinal primário estar completo. No caso da Janssen, será necessário não só o reforço, mas uma segunda aplicação, com a vacina da mesma farmacêutica, a partir de dois meses após a primeira dose.

A corrida aos postos começou logo após o anúncio, já que as primeiras doses da vacina começaram a ser aplicadas no Brasil entre junho e julho. Portanto, o intervalo já foi cumprido, nesses casos. Ainda assim, o Ministério da Saúde considera o atraso "dentro do tempo esperado", afirmou Rosana.

Na última nota técnica divulgada pelo ministério, na noite de quarta-feira (17), não consta nenhuma instrução em relação à Janssen especificamente. O texto só esclarece que a vacina pode ser usada como dose de reforço no caso do imunizante da Pfizer estar em falta. O documento limita-se a abordar a administração de dose de reforço de vacinas contra a Covid-19 em pessoas com mais de 18 anos.

A medida referente à Janssen será uma estratégia não prescrita pela bula, já que compete à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizar a mudança na prescrição, incluindo a necessidade de duas doses, e não uma. "Embora esteja na Anvisa uma dose única, compete a nós as definições", disse Rosana.

Na Anvisa, a Janssen entrou com um procedimento para a mudança da bula, mas ainda precisa entregar os estudos sobre eficácia e segurança da dose adicional. "No Brasil, a Janssen submeterá os dados para avaliação da Anvisa nas próximas semanas", disse a farmacêutica.

Nos Estados Unidos, a FDA (Food and Drug Administration), equivalente à Anvisa, autorizou a segunda dose. "O uso de uma dose única de reforço da vacina Janssen (Johnson & Johnson) contra Covid-19 pode ser realizado pelo menos dois meses após a conclusão do regime primário de dose única em indivíduos com 18 anos de idade ou mais."

Segundo a Janssen, o objetivo da dose adicional é "maximizar a proteção contra casos sintomáticos de Covid-19". Dados preliminares divulgados pela empresa mostram que, com o reforço após dois meses, "os níveis de anticorpos aumentaram de quatro a seis vezes".

"Outra análise demonstra que quando o reforço foi dado após seis meses da dose única, os níveis de anticorpos aumentaram nove vezes após uma semana e continuaram a subir em 12 vezes quatro semanas depois do reforço. Todos os aumentos ocorreram independentemente da idade", disse a Janssen.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...