Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde
Hospital Santa Terezinha realiza segundo mutirão de traumato-ortopedia
Nos próximos finais de semana, sábados pela manhã, 8 e 15 de janeiro, acontecerão mais dois mutirões na referida área.
Secom/PME
por  Secom/PME
07/01/2022 09:52 – atualizado há 6 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

A Fundação Hospitalar Santa Terezinha (FHSTE) tem adotado uma série de medidas para minimizar os números represados, boa parte em virtude do processo pandêmico, que nos momentos de maior gravidade foi necessário paralisar alguns serviços da atenção terciária.

“Estamos enfrentando a Covid-19 desde meados de 2020, quando surgiu o primeiro caso confirmado na R16 e, neste período, tivemos quatro cenários de maior gravidade, com sobrecarga das estruturas hospitalares e elevado número de óbitos. Após amplo debate com o Colegiado de Prefeitos da AMAU, no qual foi apresentado os números represados da região de abrangência, a Fundação começou a adotar medidas para equacionar o quantitativo expressivo”, explica o diretor Executivo, Jackson Arpini.

Nessa direção foi mantido contato com os profissionais médicos de áreas envolvidas e com os anestesistas, para ampliação dos procedimentos e realização de mutirões aos sábados pela manhã, como também organizadas as equipe de retaguarda técnica para que os procedimentos cirúrgicos aconteçam o mais breve possível.

Em 2021 já foi realizado um mutirão de traumato-ortopedia com recurso oriundo de emenda parlamentar, no qual foi apresentado um Plano de Trabalho a Secretaria Estadual de Saúde (SES), no valor de R$ 297.760,00, específico para procedimentos eletivos para cirurgias de prótese de joelho e quadril.

Nos próximos finais de semana, sábados pela manhã, 8 e 15 de janeiro, acontecerão mais dois mutirões na referida área, para auxiliar na redução das filas de espera que são significativas (ombro, mão, punho, menisco, outros). Segundo a direção as áreas que possuem maior represamento são cirurgia geral e traumato- ortopedia.

Ao longo dos meses de outubro, novembro e dezembro os números receberam um acréscimo nos quantitativos dos procedimentos eletivos, considerando que o bloco cirúrgico voltou a normalidade e numa velocidade acentuada, com o propósito de reduzir o represamento.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...