Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação Prefeitura de Torres
Rio Grande do Sul
Municípios do litoral norte suspendem eventos públicos para conter avanço da covid
Número de casos ativos aumentou quase três vezes em uma semana na região.
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
13/01/2022 17:21 – atualizado há 52 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Para frear o avanço do coronavírus impulsionado pela disseminação da variante ômicron, munícipios do litoral Norte do Rio Grande do Sul decidiram suspender eventos organizados pelo poder público. Até a tarde desta quinta-feira, medidas semelhantes foram tomadas em Torres, Xangri-Lá, Arroio do Sal, Capão da Canoa, Balneário Pinhal e Cidreira.

Em todos os comunicados, publicados ao longo da semana, as prefeituras alertaram para o cenário atual e destacaram que a medida era necessária para que as atividades turísticas e comerciais não sejam atingidas mais uma vez.

Ainda com relação às publicações, apenas as prefeituras de Arroio do Sal e Balneário Pinhal indicaram um período de durabilidade das suspensões. Enquanto a primeira projeta uma nova avaliação em 15 dias, a segunda vai discutir novamente o quadro sanitário em início de fevereiro.

Cenário

Em balanço divulgado na noite dessa quarta, o Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE) do litoral Norte, que representa os 18 municípios da região, informou que há 4.324 pacientes com a doença ativa. O número, segundo o órgão, é quase o triplo da semana anterior.

Além disso, na última semana foram detectados 4.245 casos novos, número quase quatro vezes superior ao da semana anterior, quando 1.108 pessoas testaram positivo para o coronavírus. Ainda de acordo com o COE, essa quantidade de casos novos é superior ao recorde anterior, ocorrido em início de março de 2021.

Diante do cenário, o órgão também alerta que os serviços ambulatoriais se mantêm com procura intensa e filas aguardando atendimento, com grande pressão na rede de saúde por insuficiência de profissionais e demanda excessiva. Em parte dos municípios, unidades de saúde foram fechadas para concentrar os profissionais atendendo em serviços de urgência.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...