Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Brigadianos passam a usar câmeras na farda no Litoral Norte do RS
Equipamento fica acoplado ao colete balístico e possibilita filmar a atuação dos policiais, tanto de dia quanto à noite.
Rádio Guaíba
por  Rádio Guaíba
18/02/2022 10:32 – atualizado há 22 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Câmeras instaladas no fardamento do efetivo da Brigada Militar no Litoral Norte passaram a fazer parte dos equipamentos utilizados na atividade policial. Nesta semana, o Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Litoral (CRPO Litoral) recebeu 14 câmeras corporais (bodycam) que estão sendo utilizadas por policiais militares do 8º BPM e do 2º BPAT, após instruções passadas pelo Departamento de Informática da Corporação.

Foto: BM / Divulgação

São quatro câmeras utilizadas por equipes de Força Tática, Ronda com Apoio de Motocicletas (Rocam) e Canil em Osório e 10 com o efetivo do policiamento ostensivo em Capão da Canoa. A câmera fica acoplada ao colete balístico e possibilita filmar a atuação dos policiais, tanto de dia quanto à noite.

Conforme o comandante do CRPO Litoral, coronel Leandro Oliveira da Luz, a tecnologia proporciona transparência às ações do policiamento em favor da sociedade e do próprio servidor da Brigada Militar. O equipamento tem autonomia para gravar durante 12 horas ininterruptas.

Após o turno de trabalho, o policial que esteve portando a câmera a devolve a um setor específico no seu Batalhão e as imagens são transmitidas para um servidor, que armazena as gravações, cujo acesso é exclusivo do Comando-Geral da Brigada Militar. A tecnologia assegura que as imagens não sejam copiadas diretamente da câmera por nenhum dispositivo.

Os equipamentos destinados ao CRPO Litoral foram oferecidos por uma empresa para uso experimental pela Brigada Militar, que poderá adquirir as câmeras se a Corporação aprovar o projeto-piloto. As Polícias Militares dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Minas Gerais já fazem uso deste tipo de tecnologia. As câmeras vão permanecer na área do Litoral Norte após a Operação Golfinho.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE