Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Brasil tem três novos integrantes na lista de bilionários da Forbes
Jovens são cofundadores e copresidentes da fintech Brex, ambos com uma fortuna de US$ 1,5 bilhão cada.
O Sul
por  O Sul
06/04/2022 08:22 – atualizado há 29 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O Brasil tem três novos integrantes na lista de bilionários da Forbes, segundo o ranking publicado nesta terça-feira (5). São eles Henrique Dubugras, de 26 anos, e Pedro Franceschini, de 25 anos, cofundadores e copresidentes da fintech Brex, ambos com uma fortuna de US$ 1,5 bilhão cada.

Divulgação

Além dos dois jovens, Sasson Dayan, de 82 anos, do banco Daycoval, figura na lista de novos bilionários.

A Brex foi fundada no Vale do Silício, nos Estados Unidos, e oferece cartão de crédito para startups locais. O diferencial do serviço é a agilidade: a empresa promete uma versão digital do cartão em até cinco minutos após o cadastro, e uma versão física em até cinco dias. No início deste ano, a fintech recebeu um aporte de US$ 300 milhões.

No total, há 236 novos bilionários no mundo, contra o recorde de 492 em 2021. Os novatos vêm de 34 países distintos. A lista teve 87 baixas – ou seja, 87 pessoas saíram do ranking de bilionários. Os que permaneceram possuem um patrimônio US$ 400 bilhões menor que na edição passada.

A China é a que mais produziu bilionários. Foram 62 do país asiático. Entre eles, estão Zhang Yiming (US$ 50 bi), fundador do TikTok; Jack Ma (US$ 22,8 bilhões), do Alibaba, e Chris Xu (US$ 5,4 bilhões), da Shein. Em segundo e terceiro lugar, respectivamente, os Estados Unidos tiveram 50 novos bilionários no ranking; e a Índia, 29. Somente 33 dos 236 novatos são mulheres, e apenas 11 não são herdeiras.

Brex

Henrique Dubugras e Pedro Franceschini fundaram a primeira empresa em 2013. Chamada Pagar.Me, a companhia era dedicada a pagamentos online e foi vendida para a Stone, em 2016.

Garotos-prodígio da tecnologia, eles se relacionaram com inovação desde cedo. Enquanto Dubugras criou seu próprio servidor para hospedar e rentabilizar uma versão com recursos adicionais do jogo de computador Ragnarok aos 14 anos (empresa que foi fechada por violações de patente), Franceschini foi um dos primeiros brasileiros a desbloquear o iPhone 3, aos 12 anos de idade.

Na Brex, fundada após um período de estudos da dupla nos Estados Unidos, o negócio logo conquistou investidores como os cofundadores do PayPal Peter Thiel e Max Levchin, o ex-CEO da Visa Carl Pascarella, e o investidor do Facebook Yuri Milner.

O negócio da Brex busca se diferenciar pela forma como oferece o crédito para startups. Em vez de pedir garantias, como receita e bens dos empreendedores, a avaliação de risco é feita com base na análise do histórico do investidores, padrões de gastos da empresa e seu fluxo de caixa. A Brex monitora constantemente a saúde financeira de seus clientes para saber quando estão sem dinheiro. Com isso, ajusta os limites de crédito para controlar o risco do negócio.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE