Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Com aumento de casos, RS entra em alerta máximo contra a dengue
Já são mais de 9 mil casos confirmados este ano ocorridos dentro do Estado. Entre esses, cinco mortes pela doença já foram confirmadas.
O Sul
por  O Sul
20/04/2022 17:34 – atualizado há 11 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

A SES (Secretaria Estadual da Saúde) anunciou nesta quarta-feira (20) que o Rio Grande do Sul está em alerta máximo contra a dengue. Já são mais de 9 mil casos confirmados este ano ocorridos dentro do Estado, chamados de autóctones. Entre esses, cinco mortes pela doença já foram confirmadas.

A declaração tem por objetivo o reforço na mobilização de enfrentamento ao mosquito transmissor, o Aedes aegypti. O foco são os 177 municípios, incluindo a Capital, onde o nível de alerta é maior pelo número de casos e óbitos registrados.

Pixabay

O assunto foi tema de reunião do Centro de Operações de Emergência em Arboviroses (doenças transmitidas por insetos). A discussão foi feita entre representantes de áreas da assistência e vigilância da SES e de outras instituições, como a Fiocruz, e da representação dos municípios, pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul e Conselho das Secretarias Municipais de Saúde.

Na oportunidade, a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, ressaltou a necessidade de mobilizar e envolver toda a sociedade nessa tarefa. “É um compromisso com o cuidado”, disse. “O alerta máximo significa uma maior atenção com medidas fortes nas regiões de maior incidência”, completou.

Áreas do Estado com maior nível de alerta (por Coordenadorias Regionais de Saúde – CRS

  • 2ª CRS (sede Frederico Westphalen): 26 municípios (196 mil habitantes)
    – 954 casos autóctones (524 casos por 100 mil hab.)
    – 1 óbito
  • 16ª CRS (sede Lajeado): 37 municípios (372 mil habitantes)

– 1.700 casos autóctones (474 casos por 100 mil hab.)
– Sem óbito

  • 1ª CRS (sem considerar a sede Porto Alegre): 65 municípios (3,1 milhões de habitantes)
    – 4.398 casos autóctones (95 casos por 100 mil hab.)
    – 1 óbito

    Porto Alegre: 1,5 milhão de habitantes
    – 1.193 casos autóctones (80 casos por 100 mil hab.)
    – Sem óbito
  • 14ª CRS (sede Santa Rosa): 22 municípios (239 mil habitantes)
    – 488 casos autóctones (219 casos por 100 mil hab.)
    – 1 óbito
  • 15ª CRS (sede Palmeira das Missões): 26 municípios (169 mil habitantes)
    – 168 casos autóctones (103 casos por 100 mil hab.)
    – 2 óbitos

Ações futuras

  • Organização de reunião com coordenadores regionais de saúde, prefeitos e secretários municipais de cidades prioritárias.
  • Modelagem de um painel com informações acessíveis à população e gestores (nível de infestação, número de casos, número de agentes de endemias, entre outros).
  • Capacitação de equipes assistenciais (Atenção Primária à Saúde e rede hospitalar), com foco no manejo clínico.
  • Elaboração de videoaulas para equipes assistenciais e de vigilância em saúde sobre temas de interesse.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE