Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mundo
Elon Musk compra Twitter em transação estimada em US$ 44 bilhões
As ações da rede social subiam quase 4% nas primeiras operações em Wall Street
O Sul
por  O Sul
25/04/2022 18:07 – atualizado há 2 horas
Continua depois da publicidadePublicidade

O Twitter anunciou nesta segunda-feira (25) que fechou um acordo definitivo para ser comprado pelo homem mais rico do mundo, Elon Musk, numa transação estimada em US$ 44 bilhões (cerca de R$ 215 bilhões).

Com a compra, segundo o Twitter, a companhia passa a ser uma companhia de capital fechado. Isso significa que a empresa não vai mais oferecer suas ações na bolsa. Fundada em 2006, a plataforma tem mais de 215 milhões de usuários mensais e foi adquirida pelo bilionário por cerca de US$ 44 bilhões.

Pelo acordo, os acionistas vão receber US$ 54,20 em dinheiro por cada ação comum, o que significa um prêmio de 38% sobre o preço dos papéis em 1º de abril. Após o anúncio, as ações da companhia operam em alta de 6% no mercado.

“A liberdade de expressão é a base de uma democracia em funcionamento e o Twitter é a praça da cidade digital onde assuntos vitais para o futuro da humanidade são debatidos”, afirmou Musk em comunicado sobre a aquisição.

Parag Agrawal, CEO atual a rede social, também adotou tom otimista para falar do momento. “O Twitter tem um propósito e relevância que impacta todo o mundo. Estou profundamente orgulhoso de nossas equipes e inspirado por um trabalho que nunca foi tão importante”, afirmou Agrawal.

Divulgação

Fundador da SpaceX e Tesla, Musk prometeu melhorias à rede social após a aquisição. “Quero tornar o Twitter melhor do que nunca, aprimorando o produto com novos recursos, tornando os algoritmos de código aberto para aumentar a confiança, derrotando bots de spam e autenticando todos os humanos”, afirmou o homem mais rico do mundo.

Segundo o bilionário, a rede social tem um “potencial tremendo” é deve ser uma espécie de “arena” de defesa para a liberdade de expressão.

De celebridade a comprador do Twitter

Com mais de 80 milhões de seguidores, Elon Musk coleciona postagens controversas na plataforma. No começo de abril, documentos da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) apontavam que o magnata havia comprado 9,2% das ações da companhia.

Dias depois, o executivo foi indicado para o conselho de diretores da empresa, mas declinou o convite. Há duas semanas, Elon Musk fez uma oferta de US$ 43 bilhões (cerca de R$ 205 bilhões) em dinheiro para assumir o controle total da rede social.

Inicialmente, a negociação foi rechaçada por acionistas e o conselho chegou a adotar o mecanismo de “poison pill” (“pílula do veneno”, em tradução livre) para frear a investida do bilionário.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE